Dizendo que eu te amo demais

Sonhar com meu amigo dizendo eu te amo e to com saudade (77 significados de sonhar com meu amigo dizendo eu te amo e to com saudade) Sonhar sobre ou a seus amigo s, ver no sonho significa aspectos de sua personalidade que você ter rejeitado, mas está pronto para integrar estes rejeitado parte de si mesmo. Como eu fui te amar demais Como me entreguei demais Vivendo sem pensar no mais E agora ela, vendo que eu sou incapaz de viver sem ela Coisas tão especiais Que me lembram ela. Será que ela ainda está pensando em mim Aquela música me faz lembrar do tempo Em que ela ainda estava aqui, tava aqui. Sei lá só queria você perto de mim Sei que é difícil ter que aceitar Essa saudade é muito ... eu te amo. notei que eu te amava quando o que eu sentia de bom por você se mostrou mais forte do que qualquer um dos meus incômodos. e quando eu me apaixonei até pelo formato do seu nariz. eu te amo. soube quando acordei no meio da noite às 3 da manhã porque seu […] NÃO TE AMO MAIS Clarice Lispector Não te amo mais. Estarei mentindo dizendo que Ainda te quero como sempre quis Tenho certeza que Nada foi em vão. Sinto dentro de mim que Você não significa nada. Não poderia dizer mais que Alimento um grande amor. Sinto cada vez mais que Já te esqueci! E jamais usarei a frase Eu te amo! Sinto, mas tenho ... Te amo demais pra deixar você partir assim, tão fácil, não vá, por favor, minha vida se resume em você, você e a causa dos meus sorrisos, o motivo das minhas alegrias, você e o homem que eu escolhi pra dar meu coração, que escolhi pra viver toda minha vida, te amo demais e nem sei o que seria de mim sem você, não me deixa! Eu te amo! Posso imaginar mil coisas diferentes para falar, mas tudo se resume ao sentimento que nos mantém unidos. Você é tudo que sempre desejei e sonhei ter ao meu lado na vida! Quero que você saiba que nunca vou deixar que nada nos separe. Você será sempre a pessoa mais importante do meu coração. Eu te amo e isso jamais irá mudar! Amor Perfeito - Te amo demais (Letras y canción para escuchar) - Não, não faz assim amor / Não me deixe, por favor / O que estão falando é mentira / Eu jamais agi assim / Eu jamais faria assim / Se eu fizesse você Se você diz algo tão sério como 'Eu te amo' muito cedo na relação, seu parceiro pode pensar que você não está realmente apaixonado por ele, mas está apenas dizendo para agradá-lo. Isso é realmente a pior coisa, porque suas três palavras mágicas acabaram de perder todo o significado para seu parceiro. A hora em que você se depara com um olhar cúmplice, um carinho e um sorriso iluminado… A hora em que vocês estão abraçadinhos na frente de uma lareira ou na areia da praia… E principalmente, a hora em que você quer dizer tudo o que sente usando só 3 palavras: Eu te Amo. — Que eu te amo. — Eu te amo mais — o constrangimento me dominou, eu me levantei e fui pra cozinha, pegar alguma coisa pra gente ou sei lá. E aquela foi a primeira vez que ele disse que me amava e nada pode ser comparado ao que eu senti naquele momento. Ele dizia que gostava de mim. Gostava do jeito como eu ria, toda boba.

Porque não sou feliz?? *aviso de texto enorme*

2020.10.14 02:49 Krahmukoslovisk Porque não sou feliz?? *aviso de texto enorme*

Sempre que começo a estabilizar ou estagnar sempre me surge um sentimento cruel, de que eu estou preso a algo ruim, que ficarei pra trás. Tenho um desejo incontrolado de sair e começar tudo do zero. Porém quando estou em um lugar novo sinto falta do conforto e do carinho, me fazendo querer desistir. Hoje estou fazendo mestrado, trabalhando em uma ótima clinica e mesmo assim sinto um vazio no peito, uma dor e uma angustia, seriam esses os sintomas tardios do termino? Da realização de um “fim”. Pois é, em 2017 voltando do meu intercambio dos estados unidos eu tive um relacionamento rápido coisa de 3 meses, terminei e pra mim foi tudo bem, não havia história e não havia amor verdadeiro. Alguns meses depois me veio a ruiva mais linda que eu já vi (apesar de não ser ruiva natural caia muito bem nela, e nem se podia notar), eu me apaixonei na hora, mas pensei “não sou cara pra namorar, não consigo me conectar’. Eu não podia estar mais enganado. Os primeiros meses foram difíceis, ela havia terminado um relacionamento que não tinha superado, não queria se envolver, muito menos eu, afinal estava na faculdade e queria curtir tudo na mais absoluta esbornia. Porém o cheiro, o carinho e aquele sorriso me quebrou de uma forma tão intensa que eu não quis acreditar, foram períodos de muita felicidade até o momento que tudo virou de cabeça pra baixo, terminamos pois estávamos muito estranhos e eu não entendi muito bem mas não tive objeção, só que algo não estava certo pra mim eu não conseguia esquecer ela.
Fui atrás e descobri da boca dela uma traição, e que ela estava sendo coagida, foi agredida e teve que sair de onde morava por causa do sujeito. Foi o momento 1 da minha mudança, pois sempre fui um cara que abominou traição e quando a pessoa trai uma vez vai trair de novo, só que eu não consegui, não consegui olha pra ela e dizer que não queria olhar pra ela nunca mais, porque eu queria ela do meu lado, então, foi quando eu deixei ela morar comigo, dividir a casa com quem me traiu e quebrou minha confiança, chorava toda noite, porém não conseguia mandar ela embora não estava certo pra mim, e que apesar do que ela fez pra mim, o que fizeram com ela foi pior, voltaram as amigas dela contra ela, as próprias meninas de republica não ajudaram ela nem mesmo na parte da agressão. Eu resolvi dar mais uma chance pra ela e ó Deus daria mais umas 20, porque depois disso não tive o que reclamar, sempre atenciosa, se preocupava comigo, fez questão de conquistar minha confiança pouco a pouco até eu pensar em casar com ela, porém veio o ponto da virada numero 2.
Final da minha faculdade estava passando por problemas com os professores, a ponto de quase ter que ir no ministério publico para resolver um conflito, meu TCC estava um caco e eu estava a um pingo de ser reprovado no meu ultimo semestre, e isso é claro refletiu no relacionamento, brigávamos sempre pois estava apático a tudo, só conseguia comer e jogar, ela (com toda razão) se sentia abandonada, e eu não sabia se queria continuar namorando pois tudo na minha vida estava triste. Terminamos novamente, me consultei com um psiquiatra que me passou medicações e tirei um tempo para ficar em casa, tive crises de pânico, mas quando as medicações começaram a fazer efeito eu consegui fazer tudo, e ela, mesmo depois de ter terminado continuou ao meu lado, me ajudando e segurando minha onda diversas vezes, e no final eu percebi que estava em um momento horrível e pedi para voltar, voltamos. Então se inicia 2019 (teve um salto grande eu sei) quando sai da cidade onde fazíamos faculdade e fui para vila velha e ela ficou lá, novamente as coisas começaram a ficar estranhas, ela é a definição de paixão pra mim, intensa, sem medo, faz o que o coração manda e passar por cima de tudo para fazer o que acha certo, e eu não, sou acomodado e fico sempre a mercê do que os outros fazem ou deixam eu fazer, sou passivo nas atitudes. A distancia era grande, eu tinha uma rotina pesada e não tinha tempo de conversar por mensagem, estava muito dedicado ao meu estagio e ela precisava de mim, precisava conversar e precisava do namorado dela ali do lado dela, então brigávamos constantemente, então novamente outro termino. Só que dessa vez fui tão cego que não vi o que ela estava passando, os problemas que tive de final de faculdade ela também teve, e eu egoísta que sou, não soube ver isso, e quando me toquei do que havia feito, tentei de alguma forma ajudar, mas ela não me atendia, e quando a gente se falava ela só sabia chorar, e eu tapado que sou não sabia o que fazer e como agir.
Então começa o ponto de virada 3, terminei o meu estagio, voltei pra casa e arrumei um emprego em um consultório veterinário perto de casa(interior do ES divisa com o RJ), e ela voltou pra cidade dela Pedro canário (norte do ES, divisa com a Bahia) estávamos terminados porem anos antes compramos um congresso de veterinária juntos e ela disse que mesmo que terminássemos ela ia disponibilizar a casa (o pai dela mora em Curitiba) dela para eu ficar. Foi chegando a data de ir e eu não sabia se aquilo estava valendo ou não, então quando menos esperava, depois de semanas sem se falar ela pergunta quando que vou, eu que nem tinha preparado nada, entrei em choque e comecei a ver data de voo, e na minha cabeça pensava “vou conquistar essa mulher de novo”, e como já dizia Rubel “se for preciso eu pego um barco e eu remo por 6 como peixe pra te ver”, ela ama Rubel. E fui, eu nunca tinha sido recebido tão friamente, era simplesmente era apática a tudo que era relacionado a mim, eu pensei “não vai dar” e já fui baixando a expectativa mas não desisti, e então em um belo dia a noite em casa, a gente ficou entre choros de saudade e tristeza, amor e ódio. Mais uma vez resolvemos tentar, sempre claro corrigir os erros do passado, para não se repetir. Ela fez comigo um teste de perseverança pois estava devastada com o que fiz com ela (deixar ela sozinha no fim da faculdade segurando uma barra desgraçada) Eu arrumei um estagio para ela numa indústria de laticínios na minha cidade e ela foi pra lá. Eu percebia que ela era muito grossa e sempre discutia por coisas bestas, eu sabia que era pra me testar, segui firme. Próximo do estagio acabar, meus pais (que aliás achavam que estávamos separados, na verdade só fingiam) perguntavam quando ela ia embora, e eu não sabia como tocar nesse assunto porque eu também não queria que ela fosse, queria ficar com ela, mas então em janeiro de 2020 ela foi embora, para Curitiba na casa do pai dela. E pra minha sorte o que houve em 2020? Pandemia, comércios fechados, aeroportos fechados, caos no mundo, e a única forma da gente estar junto e por whatsapp, e quem é o insensível que não consegue ser atencioso a distância? Eu mesmo e assim levamos por alguns meses, planejando nos ver em pleno a pandemia, mas eu não tinha dinheiro, recebia muito mal (menos que um salário mínimo) e pra ir ver ela teria que pegar dinheiro com meus pais, que com certeza não me emprestariam, então era sempre uma decepção porque ela sempre vinha com promoções de voos e formas da gente se ver, e eu sempre realista quanto a nossa situação, foi então que em junho desse ano ela me ligou terminando tudo.
Aceitei, foi uma conversa ate que longa, ficou muito claro nossos motivos, mas o principal foi a distância (eu não consigo ser eu mesmo por mensagem, não sei o que acontece, no dia eu só vou fazendo as coisas e depois que me toco de ver celular mas as vezes já e tarde). No mesmo mês fiz minha inscrição no mestrado em Vila Velha aonde havia estagiado meses antes, acabei passando, não recebo bolsa, e estou tendo que trabalhar para pagar o mestrado e as contas (quase 2500 reais no mês) até ter uma bolsa, se houver ela. Mês de setembro fiz plantão todos os finais de semana e terças-feiras, de segunda a sexta estava na rotina do Hospital para aprender a fazer coisas novas em anestesia e a noite aula. Foi um mês desgraçado, mas foi um mês que não senti falta dela, ai nesse ultimo feriado, alguns amigos me chamaram para ir para a praia em Guarapari (cidade próxima) pra gente da uma curtida, então eu fui, e realmente me diverti muito, e no domingo eu acabei ficando com a amiga da namorada de um amigo meu (complicado mas acho que deu pra entender) e nesse momento, meus amigos, só me vinha uma coisa na cabeça, a Ruiva. Eu só dei uns beijos nela e nada demais aconteceu mas no outro dia eu fui embora, porque não estava me sentindo bem com a situação, cheguei em casa triste, com uma dor no peito enorme, e acabei mandando mensagem para ela, conversamos de boa, falamos como estavam as coisas e então vem o momento da virada 4, a Ruiva, conversando com umas pessoas arrumou um emprego numa cidade pequena aqui no espirito santo, e essa cidade meus amigos, é 70 km de onde eu moro, e agora eu não consigo trabalhar, comer, estudar e nem fazer nada, só penso em ir lá e chegar dizendo que vim remando por 6 meses e só pude chegar agora. Porém meu medo é eu ser a pessoa que nunca está feliz, que quando está bom quer mudar e quando muda sente falta do conforto. Inegavelmente eu a amo, e ela me ama também (foi dito isso na conversa) mas tanto ela quanto eu sabemos que amor nunca segurou e nunca vai segurar relacionamento, fico me perguntando, com a possibilidade de ir vê-la a cada 15 dias e trabalhando pra me sustentar, podendo fazer planos de vida, se daria certo. Antes vivíamos em momentos diferentes, mas agora estamos vivendo no mesmo momento, trabalhando e sendo adultos que moram fora de casa. Meu coração e meu corpo doem de medo de ignorar o que todas as fibras dizem que é ir ver ela esse final de semana, mas ao mesmo tempo morro de medo de estar sendo o maior egoísta desse mundo e me deixar levar por esse sentimento e acabar descobrindo que não consigo mudar e que não da mesmo para estarmos juntos. Nunca fui muito religioso, mas já rezei para Deus para ter sucesso, para ter dinheiro pra pagar minhas contas, agora peço que ignore tudo e me uma luz para onde seguir.
submitted by Krahmukoslovisk to desabafos [link] [comments]


2020.10.02 23:47 TaIahasse_ Meu gato faleceu.

É estranho porquê sempre que alguém querido morre, eu sempre descubro sendo acordado por alguém desesperado e sem tempo pra assimilar as coisas. Foi assim com a minha avó, e hoje, também foi desse jeito com meu gato. Fui acordado pela minha mãe dizendo que o cachorro do vizinho havia o matado. De início quando ouvi, não tive muita reação, apenas mantive o fôlego pois minha mãe e minha irmã já estavam chorando muito e eu queria fazer o papel de pessoa forte naquele momento. É engraçado porquê, ontem eu estava tendo um diálogo comigo mesmo e eu estava dizendo que apesar do dia ruim que eu estava tendo, eu não me deixaria desanimar, pois eu tinha o meu gato. Ele sempre foi o meu pé no chão desde que chegou, sempre era o motivo pelo qual eu nunca me deixava abalar pelos pelos problemas cotidianos e da vida. E bem, agora ele se foi. Aconteceu por volta das 8h da manhã. Fico feliz que poucas horas antes (por eu ter insônia) eu tive a oportunidade de brincar com ele uma última vez.
Mas de uma coisa eu sei, ele foi muito amado, até mesmo pela minha mãe, que de início foi contra a ideia de ter um pet, por conta de uma birra que ela tinha com animais. No fim, até ela acabou cedendo.
Te amo gatinho, o gato que era bom demais para ter um nome.
submitted by TaIahasse_ to desabafos [link] [comments]


2020.09.24 08:04 skyfall2604 Demônios

>fiz esse gt como um desabafo, se quiser, ignore (desculpe se ficou horrível)

>essa é a história de um jovem
>que pensava demais no sentido da vida
>por que estamos aqui? pra onde vamos
>suas madrugadas pensativas viraram cotidianas depois dos 17
>queria voltar ao passado, pra consertar seus erros
>um dia, pegou um papel e caneta, e começou a escrever
>e nesse papel, colocou sua alma, seus demônios,
>e nele, estava escrito:

>eu te amo tanto
>quantas vezes você já me disse isso
>eu sorria, e dizia de volta
>nunca parei pra pensar no significado
>você nunca foi de dizer isso pras outras pessoas
>sempre foi insegura com seus sentimentos
>mas eu era seu porto seguro
>você confiava em mim, e vivia dizendo que me amava
>eu sorria, e dizia de volta
>você me amava, e eu também
>mas não conseguia se amar
>não conseguia te ver como eu te via
>você era a pessoa que eu mais amava
>você me impediu de meter uma bala na minha cabeça
>você me salvou da morte
>e eu não consegui te salvar, por que eu tive que sair naquele dia?
>você disse que não queria que eu fosse, mas eu bati o pé e fui
>naquela noite de tempestade, senti um frio inexplicável
>de alguma maneira tinha entendido o que tinha acontecido
>eu tinha te perdido
>mas não pra outro homem, nem pra outra mulher
>eu tinha te perdido pra você mesmo
>você sucumbiu aos seus próprios demônios
>eu não consegui te salvar do suícido
>da mesma maneira que você me deu sentido a vida
>tirou ele de mim, da mesma maneira que você tirou sua vida
>por que eu tive que sair?
>é tudo culpa minha
>se prepare amor, eu vou te encontrar aí
>e, sentindo o frio gélido do metal da glock
>tirou sua própria vida, em seu apartamento, sozinho. 6 meses depois de sua amada ir embora
>um homem que teve seus demônios expurgados por um anjo
>perdeu o mesmo anjo, e os demônios voltaram em dobro, e ele sucumbiu
submitted by skyfall2604 to gtsdezbarradez [link] [comments]


2020.09.19 21:37 niallwhore Meu ex namorado estragou tudo e esse foi o maior favor que ele já me fez!

Segura que lá vem o textão com meu relato e uma mensagenzinha motivacional pra quem ta sofrendo por quem não te merece. :}
Esse ano eu conheci um rapaz por quem me apaixonei muito. A gente namorou por 5 meses e tivemos um relacionamento extremamente abusivo: ele me acusava constantemente de traição, não queria passar os finais de semana comigo, me agredia verbalmente, era obcecado com instagram e vivia brigando comigo por coisas fúteis relacionadas a redes sociais, não deixava eu ter amigos, não me avisava com antecedência quando ele ia sair pra visitar a amiga dele, sempre brigava comigo, ficava bravo quando eu comprava coisas pra mim, colocava palavras na minha boca, não confiava em mim nunca, ficou do lado do cara que me abusou psicologica e fisicamente - ao invés de acreditar em mim, ele ficava jogando essa história na minha cara como se eu tivesse culpa, além de tudo ele tinha CIÚMES do cara que me abusou. Enfim, comi o pão que o diabo amassou.
Foram 5 meses levando porrada, até que um dia ele desistiu de mim e terminou comigo. A justificativa dele era que eu ficaria melhor sem ele - ao invés de tentar trabalhar as coisas que estavam ruins, ele decidiu fugir. Ele terminou comigo umas 10 vezes enquanto a gente namorava e depois voltava atrás, mas essa última vez eu fui forte, peguei as palavras dele, aceitei o término e não voltei atrás.
Lidar com esse término tem sido extremamente difícil, porque eu ainda o amo demais, eu sinto falta dele todos os dias. Porém, desde que ele terminou comigo eu me apeguei aos meus amigos que se importam comigo, me reaproximei dessas pessoas e aprendi a ser um bom amigo novamente e estar ali pra eles.
Perder o direito de ter amigos quando eu namorei me fez valorizar muito mais as minhas amizades. É muito ruim e assustador não ter ninguém.
Estou passando por maus bocados, mas eu fico muito feliz de ver que não estou sozinho, sabe? De ter meus amigos e minha mãe me apoiando e me fazendo sentir como uma pessoa boa novamente (porque quando eu namorava ele fazia acusações tão graves sobre mim que saí me sentindo o pior monstro do mundo).
É bom demais desabafar com as pessoas próximas e não ouvir como resposta um “fica tranquilo que vai dar tudo certo” ou não me culparem por estar me sentindo mal e brigarem comigo igual meu ex fazia.
Eu estou podendo jogar videogame de novo, e não fico mais triste de passar os domingos sozinho, porque afinal eu estou solteiro, e ta tudo bem. Além de tudo, todo o espaço vazio que o fim do relacionamento deixou, eu estou usando para desenvolver projetos pessoais e profissionais, inclusive tenho uma amiga que ta me apoiando e me inspirando muito a explorar cada vez mais os meus potenciais.
Meu ex se arrependeu muito de ter terminado comigo e deixou claro várias vezes que faria de tudo pra me recuperar. Ele me disse que mudou, que se voltássemos a namorar tudo seria diferente, etc. Por mais atrativo que isso fosse, porque eu ainda o amava (e ainda o amo), eu fui forte e sempre tentava lembrar de tudo que eu fui forçado a deixar de lado porque ele mandou. Sem contar que o fato de ele ter me culpabilizado e me feito lembrar tantas vezes do abuso que sofri foi algo que eu não consegui perdoar.
Enfim, as semanas foram passando e depois de tantos surtos, indiretas injustas sobre mim que ele ficava postando nas redes sociais, entre outras coisas como o fato de ele ter ido brigar com uma amiga minha porque ela deu unfollow nele no instagram e de ele ter seguido um conhecido meu e dado block nele em sequência, as coisas foram acalmando um pouco. Ele parecia realmente estar mudando, e obvio que isso mexeu com meu coraçãozin de gado.
Embora não tivesse sido o bastante pra eu voltar pra ele, foi algo que me fez não querer afastar e tirar ele da minha vida. Eu deixei uma janelinha aberta pra ele entrar, caso se comportasse. E depois de vários dias que a gente estava se dando bem, eu decidi que iria acompanhar ele em um exame que ele ia fazer e ele falou que queria que eu fosse junto.
Eu fui acompanhá-lo e na hora de ir embora, ele disse que queria voltar pra mim e tal. Então eu conversei com ele durante horas com a maior honestidade sobre tudo que eu tava sentindo, e eu concluí a conversa dizendo a ele que se eu realmente sou o amor da vida dele e se ele realmente estivesse mudando, o tempo eventualmente iria mostrar e a gente iria acabar ficando juntos se fosse para ser. Ele disse que estava disposto a deixar o tempo mostrar que ele estava falando a verdade, então embora a gente não tenha decidido se afastar de vez nem voltar, a possibilidade tava ali no ar caso ele quisesse agarrar.
A conversa foi na quarta-feira. Quinta-feira eu segui no instagram um amigo de longa data com quem eu havia perdido contato. Em um plot twist bizarro, meu ex uma duas horas depois desse follow veio querer tirar satisfação comigo referente a este amigo que eu segui. Sendo que a gente tinha conversado sobre como esse tipo de comportamento dele era nocivo um dia antes.
Mano, eu fiquei puto com ele e me permiti surtar e falar o quanto que ele foi invasivo e o quanto essa situação foi fodida. Eu fiquei tão irritado com o que ele fez que não queria mais falar com ele. Ele me ligou algumas vezes durante a madrugada e mandou inúmeras mensagens implorando pelo perdão. Mas eu precisava ficar sozinho pra processar tudo aquilo.
É, galera, quando a gente ta apaixonado a gente é trouxa o bastante pra se decepcionar com a pessoa mesmo ela ja tendo vacilado com você inúmeras vezes antes.
Beleza né, no dia seguinte descubro que ele seguiu outro amigo meu com quem não tenho mais contato no instagram (e meu ex morria de ciúmes desse menino, porque nós já fomos muito próximos como amigos e tinha algumas fotos com ele no meu instagram). Além de ele ter dado follow no menino, eles trocaram vários likes em fotos. Eu vi aquilo e decidi que iria retirar meu ex das minhas redes sociais, eu chorei muito muito mesmo, mas beleza.
Menos de uma hora depois meu ex começou a me ligar de novo e implorar pra eu conversar com ele, porque ele não iria aguentar me perder e que precisava de mim. Eu primeiro tive que mandar uma foto minha chorando pra ver se ele acordava pra vida de que ele foi longe demais e depois fui bem grosseiro ao pedir para ele me deixar quieto. Ele disse que iria me deixar quieto, mas implorou pra eu não sumir de vez e encerrou com um “te amo, até”.
Depois dessa conversa fui conversar com esse meu amigo que ele seguiu no instagram, e o meu amigo disse que tinha conversado com meu ex pra tirar essa história a limpo (pra ver se ele ainda tava namorando comigo e tals) e meu amigo falou que meu ex disse que já tínhamos terminado e ele não queria mais ter nada a ver comigo. Além disso, meu ex falou sobre mim com deboche pra ele, como se o relacionamento tivesse dado errado e acabado por minha culpa.
Bom, gente, eu tinha tudo pra ficar arrasado com isso tudo, porque uns minutos antes o menino tava implorando por mim enquanto ele dava em cima de alguém que eu conheço e já fez parte da minha vida. Ele me acusou de traição durante 5 meses, e quem se provou um grande mentiroso e um traidor do mais baixo nível foi ele. Ontem eu finalmente entendi que ele tentava constantemente me diminuir e dizer que eu sou péssima pessoa, porque na verdade era ele quem fazia tudo isso e ele só estava projetando essas coisas em mim.
No final das contas, embora eu esteja muito triste, eu estou muito grato por ele ter estragado tudo e ter mostrado quem ele realmente é. Imaginem que merda se eu tivesse acreditado nele e voltado pra ele? Fico imaginando quantos chifres que eu levei durante esse relacionamento e fico muito feliz que todo esse abuso acabou.
Eu não estou contente, mas eu estou extremamente satisfeito que estou aprendendo a viver minha vida sem ele e me recuperando de um monte de merdas que aconteceram na minha vida (até antes mesmo de eu ter conhecido ele) ao lado dos amigos que se importam comigo e da minha família. Estou extremamente carente, mas eu nunca vou me submeter a voltar com alguém que me traiu dessa forma e ter esse conhecimento é tudo de bom, é libertador saber que quem mais apontou pra mim é a pessoa que mais fez as cagadas que falava que eu fazia.
Tudo isso pra eu dizer, meus amigos, que tudo bem sofrer por amor. Sua vida vale muito mais que um relacionamento abusivo ou alguém que te ilude. Se você ta malzão ou malzona porque seu amor te maltrata, te humilha, trai ou mente pra você, aprenda a se amar em primeiro lugar porque você tem potencial de fazer coisas incríveis! Onde há vida, há potencial.
Se você ta se sentindo sozinho se apegue aos seus amigos, se não tem amigos se apegue a sua família. Vai conhecer gente nova, às vezes perder uma pessoa nos faz sentir que estamos perdendo o nosso mundo, mas nós ainda teremos um universo inteiro para explorar.
submitted by niallwhore to desabafos [link] [comments]


2020.09.06 22:23 cerisedinosaur uma mensagem que você nunca vai ler.

às vezes eu me pergunto: o que exatamente eu tô esperando? quando eu digo a mim mesma pra ter paciência ou que vale a pena aguentar a dor e todas as dúvidas qual será o prêmio pelo qual eu tanto aguardo?
será que, em algum canto do meu subconsciente, eu acredito que nós um dia vamos voltar a ser como antes? quando tudo era mágico e o mundo girava ao nosso redor ninguém podia nos parar pelo menos era o que nós achávamos
nos tornamos melhores amigos por acaso, timidamente desde aquele dia no intervalo da escola quando eu te vi escutando minha música favorita e te dei oi e depois de algumas semanas, sem nem percebermos, nós riamos juntos o dia todo por horas e horas em ligação você me contou seus segredos mais profundos e eu te contei os meus
era engraçado como você não conseguia esconder as suas bochechas vermelhas toda vez que me via ou seu sorriso bobo confesso que eu também sorria pra você
quando começamos a namorar, você me colocou no seu mais alto pedestal eu era sua rainha e você era meu porto seguro nunca fui tão feliz na vida quanto naqueles 3 meses iniciais
parecia tão real tão nítido tão óbvio que seríamos pra sempre
então por que você mudou tanto? por que você me evita agora? você usa a desculpa de que odeia escrever mensagens, por isso responde pouco mas quando eu estou com você, você escreve pros seus amigos sem problema nenhum mais do que pra mim acho que é porque você gosta deles de verdade
eu tento fingir que não percebo mas eu sei que você me liga estrategicamente quando sabe que eu tô morrendo de sono assim não precisamos conversar tanto
mas eu não posso te culpar eu te destruí demais e agora você me destrói acho que é um ciclo, não?
eu ignorei todos os sinais de que nós não éramos o certo afinal, como não poderíamos ser? nossa história se iniciou como a de um filme era tudo tangível demais pra ser mentira
mas talvez não tenha sido falso foi real definitivamente a coisa mais real que eu já senti sei que você também
mas o tempo passa e às vezes só amor não é o suficiente e me dói aceitar que talvez lá no fundo eu saiba que já não tem sentido eu esperar por você
nesse 1 ano que estamos juntos 9 meses foram um pesadelo perdi gente por sua causa fiz escolhas ruins por sua causa e você também se estragou por mim
hoje eu não me reconheço mais e é doloroso olhar pra você e não te ver
é ruim a pressão no peito que eu sinto quando te ligo e você quer fazer outra coisa ou quando eu tento conversar, mas você nunca parece interessado você não pergunta mais como eu estou ou se eu dormi bem
nem mesmo aquelas ligações aleatórias me mandando tomar água que você fazia quando nós éramos apenas amigos nada
eu sinto fisicamente que você já se foi
seus "eu te amo" e declarações não são mais o suficiente talvez o problema seja eu ou nós
eu sempre disse que morreria por você eu só não percebi que eu morri por nossa causa e agora o nosso lindo "a gente" que era eterno
não existe mais
somos só dois corpos que não se conhecem se encontrando todos os dias por rotina dizendo "eu te amo" como um pedido de desculpas ou por simples impulso
talvez eu deva tomar coragem e ir embora talvez eu deva aceitar que você parece muito mais feliz quando eu não estou por perto.
submitted by cerisedinosaur to desabafos [link] [comments]


2020.09.02 18:43 sweet_gih Minha experiência nos EUA

Eu fiz intercâmbio em 2018 em Los Angeles. Já vou começar dizendo q..a comida eu não gostei muito não. Podem ter certeza q a comida brasileira é muito melhor. As panquecas eu não gostei muito do gosto,mas eu acho q era é mulher q não sabia fazer. Açaí que é uma coisa q eu amo,é difícil achar...então a parte da comida eu não curto muito,o feijão é horrível mano. Os americanos são chatos demais velho,meu namorado fica bravo quando falo isso pq ele é americano kkkk,enfim,pelo menos no colégio q eu estava,as meninas eram chatas demais,elas pareciam ter inveja de quem era de outro país entendem? Os meninos eram legais até,eles gostam de quem fazia intercâmbio,eles perguntavam se podiam te ajudar e etc. Eu tinha tido um encontro com um garoto lá mas não acabou rolando nd,eles não beijam em encontro,apenas conversam..no final ficamos apenas na amizade. Eu tinha me apaixonado por um menino do mercado gente kkkkk,eu ia sempre naquele mercado só pra olhar pra ele,até q um dia eu perguntei pra ele "moço,onde tem papel higiênico?" Ele me levou até lá e teve um hora q falei baixinho em português "meu Deus,que homem lindo" ele deu risada e disse em português "agradeço pelo elogio moça" eu fiquei paralisada kkk. Toda escola vai ter um grupo de brasileiros gente,TODA. O brasileiro só não domina o mundo por preguiça msm kk. O aprendizado das escolas lá são bem melhores do q do Brasil..SEM DÚVIDAS. Eu fui na calçada da fama,é top demais. Pretendo morar lá mais pra frente
submitted by sweet_gih to desabafos [link] [comments]


2020.08.28 05:25 little-Flower_ Eu consegui pensar em mim mesma

(Por favor leiam até o final,quero ter outras opiniões)(pode ser meio grande desculpa)
(Esse desabafo e sobre uma ex-amiga minha)
A(Pra dar um contexto KKKKKKKKK) Bom,uma vez na escola eu e minhas amigas ficamos dançando/criando uma coreografia,Leticia puxou ele do nada pediu pra dar nota pra mim é para as meninas,depois de muito tempo o menino que se chama Lucas,pediu meu numero dizendo que gostava de mim e tals,ela passou a gente conversou bem pouco,eu fui até meio grossa com ele,por não querer me aproximar e magoar a Letícia,ele estava tentando aproximar o amigo dele da Letícia,o amigo gostava dela gosta até hoje se bobear,depois de um tempo a Letícia começou a gostar do Lucas(eu já pressentia isso),falou comigo é pá,disse tudo bem,eu não me importava se os dois ficassem juntos,não sou dona de ninguém mesmo KKKKKKKK,não deu certo,ela ficou chateada,ajudei ela de novo,uma semana atrás,ele pediu pra mim editar algumas fotos dele e da namorada dele,aceitei de boas,nisso a gente começou a conversar um pouco mais(sem nenhuma intenção,afinal ele namora,e também não gosto dele,só como amigo mesmo),até falávamos o que achávamos um do outro antes de nos conhecer,eu mandei algumas fotos minhas assim como ele fez também,aquelas zuadas sabe?Ele mandou foto da skin dele pra ela,sem querer ele disse pelo menos,mandou uma foto minha,tentou apagar mas ela tem um whatsApp que mostra mesmo assim,ela veio reclamar comigo sobre,já era a terceira vez que isso acontecia,e sempre pelo mesmo motivo(MENINOS),eu cansei sabe?pedi pra que nós nos afastássemos,seria melhor tanto pra mim quanto pra ela,nós bloquear se excluímos das coisas,tudo,me senti mais leve com isso,nas outras que ela brigou comigo eu saí destruída,ela já me falou coisas horríveis que me magoaram demais,espero que ela esteja bem,é que consiga uma pessoa melhor que eu,finalmente me sinto leve,pela primeira vez eu consegui pensar em mim,no meu bem,não nos outros,pode parecer egoísmo,mas foi libertador?Outra coisa,eu gostava dela,eu de verdade nutri sentimentos por ela que nunca senti antes por ninguém,é isso,não fazem nem dois dias sobre o assunto,mas queria compartilhar Por favor pense mais em você,pro seu próprio bem,nós pensamos demais se vamos magoar alguém e acabamos nos magoando,te amo okay?Fique bem💛😊(Muito obrigada por ler até aqui💛)
submitted by little-Flower_ to desabafos [link] [comments]


2020.06.30 10:51 alteregoshadow Resumo do resumo preguiçoso do bug interno

A formatação vai ficar um lixo por motivos de bug No momento estou tentando bater meu recorde de 72h em jejum, enquanto aproveito mais uma ótima madrugada sozinho na cozinha escura ouvindo o tic tac do relógio de parede comprado na lojinha de 1.99 Até que me lembro de quando o meu eu do passado chorou na minha frente, e eu não consegui resistir e comecei a chorar também Ele me disse que tinha medo de sentir dor. Dei um abraço bem forte nele, falei pra ficar tranquilo. Já passamos por tanta dor juntos Já jogamos airsoft na linha de frente tomando tiro pra caralho, já caímos morro abaixo, já comemos três pizzas e tivemos um mini ataque cardíaco... Sei lá, há um tempo atrás eu prometi a ele que ninguém nunca mais iria mexer comigo de graça Eu ia deixar de ser "bom em nada", e eu ia deixar de ser só mais um saco de pancada (é sempre muito fácil transformar uma criança num saco de pancada, né?) Enfim, minha jornada continuava. O meu eu da época das sombras foi recomendado por um anônimo de fórum da ""deep web"" a fazer academia e se livrar dos vícios. Meu eu daquela época nunca fez isso, tive que fazer por ele Calma... por que estou digitando isso aqui? Eu nunca gostei desse lugar. Acho a comunidade brasileira do Reddit muito chata e fresca. Mas eu também sou chato e fresco kkkk talvez exatamente por isso esteja aqui Resolvi criar uma conta agora, entrava só como visitante de vez em nunca, até pq nunca tem nada de interessante aqui. É quase sempre os mesmos tópicos falando ou de relacionamento ou solidão Mas esse não é o primeiro tópico que faço aqui... Já fiz um falando sobre como estou fazendo minha carta de suicídio kkkkk A carta de despedida (o suicídio lá nem é explícito) é apenas um pedido da minha sombra Não quero me matar pelo menos não por enquanto Muito leviano da parte de vocês redditors ao fazerem aqueles comentários no meu post. Mas não os julgo tbm, não há muito oq esperar de uma comunidade chata e fresca kkkkkk Lembrei em 2018 quando tive um amigo virtual nos tais fóruns da ""deep web"" (* som de fantasminha genérico *), ele era bem carinhoso comigo, já me deu um jogo de presente na steam; porém certo dia eu forjei minha própria morte, e passei a ignorá-lo completamente, sinto-me um cusão por ter feito isso, pelo menos é cômico voltar de tempos em tempos naquele fórum com uma conta fake e ver que o pessoal lá realmente acha que eu morri... meio sinistro na vdd Mas ainda assim sinto que não deveria ter feito isso, fico com a consciência pesada muito facilmente, lembro-me até hoje de quando roubei uma balinha no mercadinho do seu zé da esquina, tinha uns 12 anos; ou então no primeiro ano do ensino médio quando estava zuando uma amiga que tirou nota vermelha em física, mas ela começou a chorar... ver aquilo partiu meu coração, e para minha redenção decidi que seria justo ajudá-la a recuperar a nota, afinal além de tudo eu tinha as maiores notas de física da turma. Assim que ela recuperou a nota, voltei a zuar ela kkkkk mas nunca deixou de ser minha amiga por isso; uma vez já escreveu bem grande na contracapa do meu caderno de matemática "alteregoshadow, eu te amo". Guardo esse meu caderno até hoje (tudo bem que alguns dos meus amigos resolveram encher a página de desenhos de pinto, porém a frase ainda está lá) Eu fui meio pestinha na época de escola, em especial nos últimos anos do fundamental, uma vez eu fiquei acumulando saliva na minha boca por horas e depois soltei toda a cachoeira na mesa do meu amigo que sentava atrás; ou quando eu ficava pegando um monte de barata e lagartixa morta pra colocar nos estojos das meninas Sabe, sinto falta dessa época. Nem muito pelo motivo clichê de época da escola, simplicidade e tal, mas mais pq acho que foi a época em que eu fui a melhor versão de mim Um amigo meu mora num lugar bem isolado, tipo um sítio mesmo, mata densa e tal. A gente ia lá vez ou outra pra brincar, e era bem dahora. Esperávamos chegar a noite pra fazer o clássico pique esconde na floresta escura. Eu era conhecido por ser um dos melhores, não me encontravam nunca, até pq eu não tinha medo de me deitar e rolar no mato; saía correndo engolindo teia de aranha, lesma, pisando em cobra, enfim Era conhecido também por ser muito bom nos videogames e tirar as maiores notas da sala Aquilo definitivamente era a concretização da promessa que fiz ao meu eu de um passado ainda mais distante: disse que ia estudar mais, treinar mais, ser mais sociável E tudo isso aconteceu. Fiquei mais inteligente, mais forte, mais ágil, e do aluno mais "fantasma" da escola me tornei o líder de um grupo que reunia basicamente todos os garotos da oitava série. Ninguém mexia comigo, mas também nunca fui autoritário, zuava todo mundo e era zuado de volta. Certa vez a turma se uniu contra mim e jogaram todo meu material no lixo kkkkkk ri muito no dia Mas depois disso... sei lá Passei a frequentar academia, vez ou outra estudava um pouco, mas nada na mesma intensidade ou emoção A real é que eu passei toda minha infância sozinho na vdd. Meus pais trabalhavam o dia todo e meu irmão mais velho estudava em tempo integral. Na época teve um grande surto de dengue na minha cidade, por todo lado era cartaz falando da importância de tomar cuidado, afinal, dengue MATA. Aquilo me deixava demasiadamente pensativo, como assim morte? Eu nasci pra morrer? O que vem depois? Todo dia era a mesma coisa, chegava da escolinha e passava o dia inteiro pensando em morte, isso com uns 5 anos de idade. Pouco tempo depois, a situação piorou quando começaram as histórias de fim do mundo. Lembro que até chorava de tanto pensar nisso. A primeira vez que pensei na possibilidade de suicídio tinha uns 8 anos. Também nessa época foi quando presenciei um acidente em que um caminhão passou bem por cima da cabeça de uma menininha de uns 2 anos. Aquilo me marcou muito, e quando eu cheguei em casa, esperei todo mundo dormir para ligar o computador e pesquisar "fotos de cérebro", "fotos de acidente" e etc. Acabei parando em vários blogs e fóruns de gore (que eram bem mais comuns naquela época). Ficava assustado ao ver a fragilidade humana nos acidentes e pasmo ao ver a frieza de alguns para torturar outras pessoas por motivos torpes. Ainda assim, assistir gore acabou se tornando uma prática que levo até hoje (com menos intensidade), não por ser um psicopata que gosta de ver a dor e sofrimento alheio mas pq acaba me lembrando das minhas "origens", pensar sobre a morte e etc (todo mundo já deve pelo menos ter passado por uma situação em que sabe que vai se frustrar ou enraivecer mas mesmo assim segue em frente, é mais ou menos isso). Para morrer basta estar vivo, foi nisso que me toquei na época Posteriormente, com 10 anos, foi o momento em que fiz aquela promessa para mim mesmo. Não darei muitos detalhes aqui, e oq aconteceu logo depois já contei... Mas e após tudo isso? Bem, depois que o meu "auge" se foi, eu percebi que todos esses pensamentos ruins na vdd não sumiram, apenas estavam se escondendo. Quando voltaram, foi de uma vez. E ao invés de tentar lidar com isso de uma maneira normal, eu simplesmente achei que seria uma boa ideia dividir minha mente em partes. A maioria de meus alter egos são na verdade versões de eu mesmo porém em diferentes épocas. Porém também tem a minha sombra (pra quem conhece o conceito de Sombra do Carl Jung talvez entenda melhor isso). E oq aconteceu foi que, eu acabei criando egos que brigam entre si constantemente, deixei todas as minhas características positivas a um ser superior, idealizando um eu melhor que eu, um eu que agarrou todos seus potenciais e os explorou ao máximo, uma pessoa que eu nunca conseguiria ser porém dizia ser no mundo internético afora. Estava mentindo para mim mesmo Sabe, cada um dos meus alter egos têm uma qualidade. Um é bondoso, tem o inteligente, o criativo... porém parece que o que sobrou para mim foi apenas loucura. Poxa, eu já fui cada um deles, por que não consegui pegar pelo menos uma parte boa de cada um? Parece que eu regredi. O certo não seria, ser uma pessoa melhor a cada dia? Se eu ao menos pudesse juntar a bondade, criatividade, inteligência, e etc, eu definitivamente iria orgulhar o meu eu do passado, mas ao invés disso, estou apenas enganando ele e a mim mesmo, colocando todo meu potencial num alter ego superior que me consome a cada dia É complicado, por um lado tem a promessa que fiz que me mantém vivo, querendo cumpri-lá. Mas por outro, eu vejo eu mesmo desprovido de significado, tenho uma vida boa, bons amigos, situação financeira estável, minha família não gosto tanto mas relevo, enfim, mas parece que nada me é suficiente. Sinto que a vida é só um tédio extremo mesmo, até em momentos que era pra eu me divertir estou entediado, ou então quando de fato me divirto, depois o sentimento de vazio vem ainda maior, não dá pra explicar com palavras, o que posso dizer é que sou extremamente curioso, o que me atrai ao suicídio é o fato de ser uma morte planejada, eu poderia saber quando e como morrer, preparar uma carta de despedida, fazer uma "queima de arquivo" e etc, mas por outro lado, eu ficaria extremamente agoniado em não saber qual seria a reação das pessoas diante minha decisão. É literalmente a curiosidade o que mais me mantém vivo, e por vezes, a curiosidade de saber como seria meu suicídio é a predominante E não falo de tristeza ou depressão, sei lá eu nunca fui atrás de um profissional, mas eu sinceramente não acho que tenha depressão, no máximo TDAH pois de fato sou muito hiperativo e perco o foco muitas vezes, tropeço algumas vezes e (não sei se tem muito a ver) às vezes tenho a sensacão de que estou girando ou caindo, principalmente quando eatou sentado ou deitado em um ambiente escuro, mas assim, eu acho que a vida, especialmente hoje em dia e ESPECIALMENTE para pessoas como eu, é assim mesmo. Eu não preciso estar depressivo para sentir como a vida realmente é, e sinceramente tô cada vez menos ligando pra isso. Eu aprendi desde muito cedo a lidar com silêncio, solidão e tédio(esse é o mais difícil), além do mais tenho imaginação fértil então o meu maior passatempo (entretenimento, hobby chame como quiser) é só me perder na minha mente mesmo. Poxa, tem um universo inteiro dentro de mim para ser explorado, não quero me preocupar com coisas mundanas. E pra quem me critica, dizendo que isso é fugir da realidade, pensem que TUDO (ou quase tudo) que o ser humano faz no tempo livre é exatamente para fugir da realidade. A vida real é meio chata né kkkkkk. Jogar videogame, assistir filme/série que seja, jogar rpg de mesa, ler um livro, ouvir um audiobook ou podcast ou até mesmo uma festa com bebida e música alta, tudo isso serve para as pessoas fugirem da realidade, mas diferente do que eu faço, já que eu fujo da realidade mas pelo menos não fujo de mim mesmo Eu fujia de mim mesmo no último ano do ensino médio, sabe né, aquele ano que ngm liga. Ia e voltava pra escola a pé, e sempre passava na lojinha pra comprar chocolate, me viciei naquilo. Sempre comia no caminho e colocava a embalagem na mochila. Até que resolvi contar quantas embalagens tinham e pasmém, quase 80, isso em um pouco mais de 2 meses Sempre tive um mundo onírico muito vivo, desde criança bem pequena, sinto os meus sonhos de fato, lembro quando tinha uns 6 ou 7 anos sonhei que um guerreiro samurai atravessou a longa katana no meu peito e foi uma das maiores dores que senti. Tento às vezes praticar sono induzido, dou risada dormindo, falo dormindo e por vezes até escrevo ou desenho dormindo (não sou sonâmbulo). Comecei a perceber que boa parte dos meus sonhos envolvem meus alter egos, e na maioria das vezes estão em um ambiente fantasioso (como uma mansão ou castelo mal assombrado, cemitério, labirinto e etc) e precisam trabalhar juntos para resolver os puzzles e escapar Na maioria dos sonhos eu não sou o protagonista ou sequer participo, apenas observo os meus egos, em terceira pessoa Muitas das vezes a minha sombra mata os meus egos nos finais dos sonhos É muito simbolismo envolvido, ainda estou pensando sobre isso, pode ser uma autosabotagem (suicídio) ou então algo do tipo matar o velho para manter o novo, eu não sei Se tem uma coisa na qual eu posso ser grato, é por ter tido sorte para arranjar bons amigos. Sei que muita gente (em especial desse sub) deve ter mais dificuldades com isso, eu por outro lado, apesar de nem precisar tanto pois me dou bem comigo mesmo e na maioria dos momentos até prefiro estar sozinho, tive bons amigos. Às vezes é bom ter uma boa companhia. Aquele meu grupo da oitava série que falei anteriormente, mantenho contato com quase todo mundo, ainda considero sim porém cada um seguiu seu rumo e não tem nada de errado ou anormal nisso. Acho que muita gente que sempre teve dificuldade em fazer amigos cai no erro também de romantizar demais a amizade, do tipo "seremos amigos para sempre" ou sei lá mais oq. É completamente natural que com o tempo o afastamento ocorra, não precisa se sentir mal se as conversas não fluem mais Inclusive uma vez mandei uma mensagem para um amigo não se preocupar comigo pois em no máximo 5 anos provavelmente não iríamos mais nos falar de qualquer maneira, e ele respondeu: "Como assim com certeza continuaremos a nos falar e jogar Airsoft e RPG por muito anos a vir!". Admito que quase chorei lendo isso, e me senti fraco Mas continuando, em especial na internet, existe muito isso. Às vezes vem alguém desabafando por não ter amigos, recebe várias mensagens de pessoas para conversar, porém essas mesmas pessoas depois dão o famoso "ghosting". Olha, isso é bem previsível na verdade. Apenas faça a si mesmo a seguinte pergunta: "Quantos de seus amigos virtuais seriam seus amigos se você os conhecessem no mundo real, ao invés de no mundo virtual?". É apenas um questionamento, mas acho interessante. Pois é muito fácil falar que é amigo de qualquer um na internet Inclusive, entrei num servidor público de discord, daqueles só pra conversar e tal, e pqp parece que é impossível achar um servidor de discord em que a userbase não esteja repleta de adolescentes genéricos que têm problemas de autoestima e passam o dia jogando videogame ou assistindo filme/série/anime, tinha mto pré adolescente tbm de idade entre 11 até 14 anos Não ficava muito a vontade lá, as regras tbm eram muito vagas, não podia ser ofensivo no chat mas não estava definido oq era ofensivo pra staff. Levei um aviso simplesmente pq um adm lá quis, ainda não entendi que regra quebrei, ele provavelmente só estava de mal humor mesmo sla Tinha um canal de desabafo que só podia falar "coisa séria", aí uma vez falei sobre como fico puto por comer muito chocolate e queria mesmo era encher minha perna com tiros de airsoft, aí levei outro aviso por não respeitar a seriedade do canal. Sla né, autosabotagem não é uma coisa séria pra ele? Foda, muita arbitrariedade. Não tem como arranjar um servidor público decente. Sempre tem uma userbase majoritariamente imatura, joguinhos e eventos sem graça e confusos, enfim Mas oq eu queria fazer naquele servidor, eu fiz aqui. Provavelmente não da melhor maneira, certamente não da maneira como eu imaginava, mas está feito Ficou confuso e grande pra caralho lol
submitted by alteregoshadow to desabafos [link] [comments]


2020.06.21 20:43 Wooden_Statistician3 Tudo que falo só piora e só queria que voltasse a ser como era antes

Desabafo. Há alguns meses casei, depois de menos de um ano de namoro. Apressado? Com certeza. Mas as circunstâncias meio que pediam. Ela veio de uma família extremamente quebrada e tóxica. Vivia sozinha há alguns anos, dependendo de auxílios de faculdade, parentes que só sabiam reclamar de estar ajudando, etc. Ela tem depressão profunda, e não tinha nem como se tratar.
Quando a conheci ela estava namorando, mas um namoro só de fachada, pois na verdade ele era abusivo e não deixava ela terminar, sob ameças contra a própria vida por parte, e à vida dela por partes de parentes dele. Durante boa parte da sua vida, a chamaram de feia, estranha, etc. Na faculdade as coisas mudaram, e começaram a enxergar a sua beleza, ficou com vários, mas sua auto-estima baixou tanto ao longo da vida que ela aceitou namorar com essa cara, sem nunca de fato querer, e acabou presa nesse relacionamento por mais de 2 anos.
Eu só tive uma namorada, há mais de 10 anos, e um crush forte até alguns anos atrás, o qual acabou em inimizade total. Sempre percebi que não era interessante pra nenhuma garota, na aparência, e nunca tive qualquer desenrolar pra "chegar". Depois de namorar, tomei gosto, e tentava. Porém do meu jeito tímido e, claro, ineficiente. Anos disso me fizeram perceber que não havia porque eu ficar insistindo em "achar alguém", se fosse acontecer seria no dia-a-dia normal, ou quando eu realmente me melhorasse como pessoa. Foquei então na minha educação e no profissional.
Um dia ela, ainda em namoro abusivo, falou comigo pelo Whatsapp, tarde da noite. O meu racional dizia pra eu ir dormir, pois a pessoa responsável e profissional dorme cedo e acordar cedo (ou assim deveria, pelo que dizem). Mas algo me fez querer falar com ela, mesmo que ainda de forma um tanto fria, admito. Papo vai, papo vem. Como parecia ser só uma amizade, eu falei abertamente com ela, inclusive quando ela perguntou de relacionamentos/crushes passados.
Semanas depois, ela termina o namoro e diz que gosta de mim. Pela primeira vez em muitos anos volto a sentir aquilo que senti no primeiro namoro. E ficamos, e namoramos, e tudo foi muito intenso. E então casamos, para que ela pudesse ter acesso ao meu plano de saúde como dependente e tratar, principalmente, da depressão, pois várias noites a vi chorar pelo seu passado que ainda atormenta o seu presente: ela não consegue nem mais estudar e boa parte das tarefas domésticas ficam pra mim. Mas havia tudo pra melhorar, não havia? Infelizmente, tudo mudou um dia.
Ela acordou e disse que sonhou que eu falava que eu achava aquele meu crush forte (Fulana) de alguns anos antes mais bonita que ela. Depois de algumas horas, como se perguntasse algo banal, ela perguntou se achava mesmo. O problema: eu considero a Fulana bonita, mesmo nível, mas o sentimento que existe é pela minha esposa e, obviamente, ela me é "a mais bonita". Mas ela não aceitava esse tipo de resposta, ela queria que eu respondesse de forma crua. Eu, que sempre procuro ser honesto, correspondi. Como considero as duas de mesmo nível, foi difícil. Conseguia lembrar de momentos onde uma estava mais bonita que outra, mas não chegava a "vencer". Uma certeza eu tinha, e continuo tendo, minha esposa tem a maior capacidade, ou seja, consegue ser a mais bonita. Mas ainda assim minha resposta não foi suficiente: ela dizia que eu estava enrolando, com medo de dizer a verdade. Não entendi do que deveria ter medo afinal, pra mim, a resposta mais direta e crua não fazia a menor diferença nos meus sentimentos para com ela. E, se eu estivesse raciocinando direito eu teria percebido a armadilha bem ali na minha frente, mas eu caí nela quando ela novamente exigiu a resposta direta e crua: ou ela ou a Fulana. E eu falei a Fulana.
E, de repente, ela começou a me atacar. Dizendo que eu acho a Fulana "linda e maravilhosa" e ela feia (quando pra mim ambas tão no mesmo nível, e pra mim ela vai ser sempre a mais bonita, pois é ela que eu amo). Que meu sonho era que tivesse dado certo com a Fulana, mas que ela foi o que deu (quando ela, e somente ela, que conseguiu reacender meus sentimentos, mesmo quando tudo dizia que não valia a pena sonhar com isso (afinal ela tinha namorado, etc.). Eu tentava explicar meus sentimentos, mas nada adiantava. A frustração, a angústia tomou conta e então, a raiva. Raiva de como algo que estava morto no passado, voltou pra me assombrar. Raiva de que algo completamente irrelevante no meu presente, e portanto nosso presente, estava ali, destruindo nosso casamento. Pois ela começou a querer ir embora, anular casamento, se separar. E na tentativa de melhorar as coisas, eu sempre piorava. Acabei falando palavras (que pra mim não teria tanto significância se ela dissesse), mas infelizmente pra ela tinha: disse que ela estava sendo "idiota" por insistir tanto nas afirmações desses ataques e desconsiderar completamente o que eu sinto e falava. Só estava tendo "amenizar" a situação, segundo ela. E que no fundo, eu queria alguém """melhor""" que ela.
Isso foi uma tarde. Ela eventualmente parou quando percebeu o quão mal eu estava. E claro que eu estava. A pessoa que eu amo e por quem eu faço tudo, praticamente "inventou" um motivo pra me atacar. E daí que numa análise crua e racional, naquele ponto específico da história, a Fulana havia "vencido" no concurso de beleza entre as duas. Grande bosta. Minha esposa continuava sendo bonita, e pra mim e meu amor, a mais bela. Era ela que realmente havia gostado de mim, era ela que quis casar comigo, era ela que me acompanhava nos filmes de sábado à noite, era ela com eu me via vivendo pra sempre do lado. E de repente, parecia que nada mais disso iria se tornar realidade e por quê? Por algo que nem ao menos mudava o que eu sentia em relação a ela e nunca iria.
Durante o final da noite, eu tentei dormir, mas não conseguia. Tentei assistir vídeos de "como lidar com a pessoa amada em depressão". E ela começou a chorar do meu lado, muito. Larguei o vídeo, abracei-a. E ali as gentes se aceitou novamente. Ou assim parecia, porque poucos minutos depois, ela pergunta, inocentemente, se eu acho minha irmã mais bonita que ela. E o fato é, se eu dissesse que não seria uma bela duma mentira, e mesmo que eu achasse, ela diria que eu estava falando aquilo só pra agradar. E eu, O idiota, achando que estava tudo bem de novo, respondi que sim. E novamente ela começou a me atacar. E POR CAUSA DA MINHA IRMÃ!?
Atualmente eu me considero forte pra aguentar essas coisas, mas não dava mais. Ela quebrou minhas defesas com esses ataques. E tudo que ela me falava soava como "EU TE ODEIO". E eu aceitei esse ódio dela, pois, afinal, ela devia estar certa. Eu sou uma pessoa com 30 anos, aparência ok, mas que não tem amigos e só teve uma namorada antes dela. É óbvio que tinha algum problema, o problema de que eu era detestável. Eu sempre tentei demais ser prestativo e tudo mais, mas quando o assunto são sentimentos eu nunca consegui transmitir isso. Abraço minha mãe quatro vezes ao no: aniversário dela, o meu, dia das mães e natal. Sempre um abraço bem "desengonçado". Eu noto isso, mas sempre foi assim, e eu não sei mudar. Eu sei o que eu sinto, mas minha demonstração é e sempre vai ser insuficiente. E por isso todos ou acabam por me detestar ou se afastar de mim. Mas eu realmente pensei que com ela seria diferente.
Alguns dias se passaram e as coisas até foram melhorando. Até que cai tudo de novo. Ela conta pra uma pessoa, que mal conhece, que eu achava que ela na praia não ficava tão bem quando dentro de casa. Sim, eu havia falado algo do tipo, quando no começo da discussão ela pedia pra eu ser mais direto. Oras, ela tem umas manchas, gordurinhas a mais, etc. do que a fulana. Eu me sinto menos bonito do que um cara que não é assim, mas nem por isso me acho feio, ou ache vou sempre ser inferior. É só eu cuidar disso. E se não cuido, é porque tenho outras prioridades. Da mesma forma com ela. Não acho ela feia, nem menos bonita, só relatei o óbvio. E se ela não quiser cuidar, ou não conseguir cuidar, não é problema pra mim. Eu casei com ela pelo pacote completo. E assim como eu, ela também vai com o tempo perder pontos na aparência. E assim como eu, espero que ela ainda me ame, ainda me ache bonito, com eu continuarei amando ela e achando bonita. Mas não importa eu falar isso. Pois ela quer sempre dizer que tudo isso que eu falo é balela, enrolação, agrados, etc.
Pelo meu jeito detestável de demonstrar sentimento ela perdeu totalmente a confiança nos meu sentimentos, a ponto de nada o que eu falo valer mais. Ou talvez, no fundo, ela espera que eu seja pra sempre tão bonito quando ela acha atualmente, e quando eu não foi mais, ela vai me trocar por alguém que envelheça melhor. Mas se eu falo isso pra ela, ela bate o pé pra dizer que pra ela é completamente diferente, que o sentimento dela é real, mas que o meu? O meu é de mentira, porque assim ela decidiu. E ela ainda diz que eu mereço alguém ""melhor"". Mas o fato é, que ela se estiver certa, o que eu mereço é desaparecer. Pois o meu eu que ela odeia, é o único eu que existe. E se ela não é capaz de amar esse meu eu, e insiste em brigar, está mais que na hora de ela admitir o que está bem na frente dela: ela não me ama. Não mais. Só espero que não tenha sido nunca. Porque pior que ver tudo se destruindo e não poder fazer nada, pois nada do que eu falo impede, pelo contrário, piora, e ficar calado não é opção, então que pelo menos não tenha sido tudo uma mentira.
E hoje ela do nada veio falar que tá com medo de engordar, pois, segundo ela, eu falei que iria querer outra se assim acontecesse. Eu nunca falei isso, assim como nunca falei outras coisas com as quais ela vem me atacando. Mas o pouco que eu digo, se transforma num muito na cabeça dela. Eu não aguento mais. Eu peço pra ela parar, mas ela insiste em, nas palavras delas, "me colocar contra a parede pra botar as verdades pra fora". Mas do que adianta isso, quando ela já decidiu o que é verdade e o que é mentira? Nada, e por isso eu só queria que ela parasse. Que não pelo amor que ela supostamente sente por mim, mas pelo menos em consideração a tudo que eu fiz por ela.
Pois agora eu já não sinto nada. Um nada que não me permite nem ao menos dizer o que sinto por ela. Mas enquanto eu quero acreditar que ainda amo ela, ela insiste. Eu novamente pedi pra ela parar, e afirmei que não sei mais se gosto dela, mas que se ela realmente me ama, ela tinha que parar, e me deixar sentir novamente. Mas meu medo é que ela continue (ela está passeando com uma amiga nesse momento), pois se ela continuar o pior vai acontecer. O amor vai virar ódio. A vida vai virar morte. Figurativamente (apesar de temer, e muito, que aconteça literalmente para ela).
submitted by Wooden_Statistician3 to desabafos [link] [comments]


2020.05.07 23:34 ___masami____ sinto que estraguei meu namoro

eu e meu namorado começamos um relacionamento da forma mais pura e ingênua possível. viramos amigos timidamente, começamos a nos sentir confortáveis para desabafar um com o outro, ficávamos em call quase todos os dias e nos conectamos intensamente muito rápido.
depois de meses enrolando, começamos a namorar ainda no pique de "melhores amigos", mas ainda sim éramos dois bobos apaixonados. era tudo perfeito, nossa amizade e relacionamento se fortaleciam a cada dia que passava. nós riamos e falavamos sobre qualquer coisa, sempre no nosso próprio mundo.
mas depois de uns meses, meu maior ponto fraco começou a falar mais alto (=insegurança por traumas passados). eu comecei a sentir muito ciúmes dele com nossas amigas em comum, e até mesmo com os amigos dele (porque eu me sentia menos interessante ou engraçada do que eles) e mesmo tentando esconder, eu transparecia demais.
ele pedia que eu desabafasse, pra que ele pudesse de certa forma me ajudar, mas TODOS OS DIAS eu ficava mal por algo. em nosso 4° mês de namoro, eu chorei literalmente todas as noites em ligação com ele. ele me apoiava e tentava me alegrar, mas obviamente isso esgotava ele demais. comecei a usar remédios para dormir que me deixavam "dopada" e falava coisas da boca pra fora que o magoavam muito (do tipo: "eu te amo, espero não me foder no futuro dizendo isso" ou "eu não sinto que você ainda tá apaixonado por mim")
ele tem um transtorno mental que faz com que ele ouça e veja seus pensamentos como vozes ou alucinações desde a infância. lembro que na época que eu estava muito mal, ele dizia que "eles" sussurravam o tempo todo que ele era insuficiente e ruim pra mim.
já quase terminamos 2 vezes ano passado, mas do início desse ano pra cá comecei a ter uma melhora nítida. aprendi a controlar os ciúmes aos poucos, administrar meus pensamentos sem explodir e tentar enxergar o amor que me estava sendo oferecido (o que antes parecia impossível)
de 1 mês pra cá, posso dizer que estou 80% melhor. agora sou muito mais estável, devo isso a paciência e ajuda dele.
mas as sequelas ficaram e são evidentes.
ele sente receio de passar tempo com amigos ou jogar no computador porque sente que eu vou ficar triste, e QUALQUER COISA deixa ele frustrado ou preocupado excessivamente. algumas vezes ele se defende mesmo sem eu ter esboçado nenhuma emoção negativa, como "desculpa, achou isso grosseiro?" digo que não "desculpa, eu só queria ajudar, mas tudo bem, não vou mais te ajudar com mais nada"
isso me deixa triste porque sinto que eu feri nessa relação, que tinha tudo pra ser quase perfeita na medida do possível. me arrependo demais do nosso passado, dói lembrar de tudo que eu já fiz ele passar (mesmo que fossem meus sentimentos e eu em teoria não tivesse culpa)
estamos bem e estáveis, ele anda sendo um anjo comigo, sempre cuidando de mim e me tratando com um bebê (kkkk), mas eu consigo ver as cicatrizes que sobraram das nossas fases conturbadas nele, e me sinto culpada demais.
texto imenso, mas é isto. sei lá.
submitted by ___masami____ to desabafos [link] [comments]


2020.04.06 11:07 amornostemposdequa Até você ouvir falar de mim

O mundo está cansado de girar. Escrevo a duras penas com as mãos indo sem sentido, teclando tudo como se fosse um macaco cego. A vergonha de postar e depois ter de me justificar dizendo que foi o diabo que me tentou. É pior do que ser pego com a mãos ocupados comendo a ti mesmo dentro de um círculo mágico. Celular na mão e o sigilo na mente. A cada dia que passa estou mais convicto de que tem algo errado no ar. E não é só o vírus. Existe algo que não conseguimos captar de primeira porque a língua é desconhecida. Caos magick talvez? Não sei. Sei que me sinto esmagado pela possibilidade de seguir todos os caminhos e não conseguir andar por nenhum. Agora que as portas da percepção vêm abrir a janela do meu desktop onde posso encontrar a realidade na qual você vive? Onde está o cara que comanda isso tudo e se alimenta da saudade que eu tenho de você? Em algum lugar eu sei que você me ama. Em alguma realidade não escolhida por mim onde assisto na tela dos meus sonhos, paralisado e amedrontado a luz dos seus olhos e os sons que saem de sua boca. As vezes tudo isso parece um sonho ruim. E a qualquer momento minha mãe vai me acordar para ir para escola. E eu não vou te conhecer jamais e não vou sofrer demais com as pedras que se empilham ano após ano nas minhas costas curvadas junto com todos os ontens, os amanhãs e os hojes que me escapam às mãos na cinza das horas.
Na verdade, eu não te amo mas sim sua persona dentro de mim. Que me anima. Que me dá forças para continuar vivo apesar da vontade louca de fumar e o medo de sair na rua. Eu não te amo. Nunca te amei e se alguém perguntar por aí qual a cor do cabelo do grande amor da minha vida eu direi que é preto como coca cola mas não vou desenvolver isso agora pois na falta de tema para escrever eu sempre escrevo sobre você.
E por falar em sabores, já faz alguns bons dias que tudo tem gosto de morangos. A neurose de estar doente bate e me bate e eu sento no desktop bato nas teclas como se fosse o último dia da minha vida e eu precisasse desesperadamente dizer algo para além das fronteiras da minha existência pueril. O que será que amo tanto e que me falta palavras para descrever? Com certeza não é você que nem conheço direito. Tudo se confunde em mim e eu te enxergo como sons na noite e sinto teu gosto com meus olhos e toco seu corpo com minhas narinas, perfume de jasmim. Do Nothin' Till You Hear From Me.
Medium
submitted by amornostemposdequa to rapidinhapoetica [link] [comments]


2020.02.06 02:40 RoansC tudo tá tão difícil sabe...

Comecei o ano incrivelmente bem, tava tudo dando certo, tudo indo ótimo. Fevereiro chegou com falsas esperanças e acabou estragando tudo. Estava tudo certo pra eu ir pra praia com meu padrinho. Eu não ia pagar NADA, ganhei a viagem. Porém sou pobre né, tive que escolher entre viajar e ficar 10 fuckings dias despreocupado ou ficar pra começar em um estágio do qual não faz sentido nenhum eu ficar já que não tem relação nenhuma com meu curso, ganhando uma merreca pra poder ajudar minha família com gastos. Fiquei absurdamente chateado com tudo isso, chorei, mas tava superando, até pq o estágio é 1 ano com emprego garantido, porém a raivinha não se foi né, pq entre tomar champanhe na piscina numa casa de frente pro mar e ralar trabalhando eu preferia a primeira opção. Até que meu namorado posta algo sobre se sentir insuficiente no twitter e o boyzinho do qual eu era xonado antes de namorar ele (que por um acaso tinha ficado já com meu namorado e é xonado nele) comentar esse tweet. Meu dia já estava horrível, ver aquilo me deu gatilho. O crush no boyzinho passou a se tornar ódio rapidamente. Eu estava estressado, estou estressado na verdade, curti o comentário e postei que não era obrigado a ficar levando desaforo devido o péssimo dia que eu tive. O lixo do boyzinho postou até gif após isso tirando sarro de mim. Eu quero me matar. Eu quero muito me matar. Eu não sei como me matar. Não quero que haja dor, já sofri o suficiente. Sim, eu tenho problemas. Sim. eu deveria me tratar. Mas quem precisa de tratamento quando já se está morto? ... Não posso fazer isso. Eu estragaria a viagem dos meus familiares. Eu estragaria a vida dos meus pais. O que minha vó, que já batalhou por 80+ anos, superou um câncer e sofre dia pós dia com dores ia pensar de mim? Que neto mais fracote. ... Como reagiriam? Como as pessoas que eu amo reagiriam? Como as pessoas idolatrariam minha morte pra ganhar curtida e dizerem “eu era amigo dele” sem ao mesmo terem ciência do que acontece na minha vida? ... Como meu namorado reagiria? Ele tem tendências suicidas. ... A consciência de quantas pessoas pesariam por acreditarem ter sido motivo do meu faltar? ... As pessoas sofreriam? Existe céu e inferno? Pra onde eu iria? No céu não aceitam suicidas... Novamente, Céu e Inferno existem? ... O meu melhor amigo foi o único que percebeu o que tava se passando. Antes mesmo de eu comentar a ideia fácil que seria a morte, ele pediu pra que eu não a fizesse. O que será de mim? Eu aguento essa noite? Eu converso com alguém? Partir dessa parece cada vez mais sensato e real. ... Como fazer isso? Pesquisei métodos na internet. O primeiro link era direcionado pra um site de ajuda psicológica e apoio. Obviamente não cliquei nele, se eu precisasse de ajuda emocional não estaria pesquisando como não precisar de mais nada. Não havia um site dizendo especificamente “a melhor maneira de se matar, a menos dolorosa e rápida é a seguinte...” Acho que isso nem é permitido. EU SÓ TENHO 18 ANOS O QUE EU ESTOU FAZENDO? Voltando aos sites, afogamentos e decapitações são menos dolorosos que incinerações e afins. O melhor de todos, segundo a internet é parada cardíaca súbita. Infelizmente, por mais que eu não seja um exemplo de saúde, sou saudável demais pra isso. ... Por que não uma faca na garganta? Ninguém me ouviria gritar. Somente eu me afogando em meu próprio sangue. Tudo bem que eu iria morrer logo em seguida, mas eu suportaria isso? Eu seria capaz disso? ... Que tal uma overdose? Quantas pílulas diferentes são necessárias? Também não há um manual sobre isso. Cada vez a ideia fica mais longe. ... Cortes nos pulsos? Como a Hanna em 13rsw? Eu seria incapaz. ... 13 reasons why... Ótima ideia. Lá se vão 5 motivos. Por que tão pouco? Não preciso de muito.
1- Prefeito, cancelou minha viagem e deu início a tudo isso por não poder aguardar 1 semana até me contratar. 2- Famoso boyzinho que não suportou ser trocado e foi tão tóxico a ponto de ser um motivo pra isso. 3- Eu mesmo. Sou tão incompetente. Ele tinha razão, eu gosto de inflar meu ego, pra parecer que sou bom em algo. Na verdade, falo demais, faço pouco, não sou tudo isso que tento demonstrar ser. 4- Paizinho, que não me mimou NADA, estava presente mas nunca estava interagindo comigo, me dando amor, apoio, nem sabe que sou gay, deve desconfiar mas o medo de eu ser supera o amor dele. 5- Mãezinha linda, que apesar de eu amar mais que tudo nesse mundo, não me aceitou exatamente da forma esperada. Eu pensei que o amor dela superaria tudo isso, mas ela simplesmente preferia que eu forçasse uma relação heterossexual do que fosse feliz. Bom pelo menos de início, agora eu não sei, ela nunca mais tocou no assunto, o que me leva a pensar que ela espera que seja mentira ou eu mude de ideia. Te amo mãe. ... Tentarei dormir, talvez eu acorde...
submitted by RoansC to u/RoansC [link] [comments]


2020.01.20 17:31 Gab8786 A PIOR SOGRA DO MUNDO. Me livrei, mas doeu.

Considerações:
Primeiro: eu juro que isso não é fanfic. Eu vivi isso, acredite ou não.
Segundo: primeiro post que envio para o turma-feira, ah que emoção. Recentemente seus turma-feira's têm sido meu melhor passatempo, gratidão imensa por fazer meus dias melhores.
Terceiro: Minha vida amorosa é uma tragédia (não a nível de Shakespeare, mas é quase), te contarei apenas um dos casos. Se você gostar, quem sabe eu te conte mais outros...
Provavelmente você terá que fazer um vídeo inteiro sobre isso. Vamos lá.
(Os números e nomes aqui estão trocados. Não mostre isso no vídeo, ok editor?)
Aconteceu em 2014.
Conheci Micaela, a namorada com quem eu casaria se existissem condições. A gente combinava em tudo. Em todas as conversas tínhamos uma harmonia ímpar, gostávamos de estar juntos em todos os momentos, não tínhamos divergência de pensamentos políticos ideológicos (eu nem ligava pra isso na época), ela gostava de muitas coisas que eu gostava, se esforçava pra gostar de outras e eu fazia assim com ela também. Era muito bom estar junto dela.
Eu andava 3 km a pé pra ver ela e valia muito a pena(não existia Uber na minha cidade ainda, mas mesmo que existisse eu iria a pé pq eu n tinha grana, e ela gostava de mim mesmo assim, o que prova a veracidade dos sentimentos dela).
Ela frequentava minha casa algumas vezes, meus pais amaram ela, fez amizade com meus irmãos mais novos, ela jogava videogame comigo. Era um sonho.
Só havia um problema. Dona Gertrudes, a mãe dela. Ah, Dona GERTRUDES... Como posso te explicar, Luba... Imagina uma mulher religiosa ferrenha com uma moral do século 18. Eu não sabia disso até então. Pelo visto nem Micaela sabia que a mãe poderia chegar a um nível tão ABSURDO no final da história. Micaela apenas dizia que não podíamos subir pro quarto dela porque a casa estava bagunçada devido a uma reforma, e a mãe queria me conhecer primeiro (com o tempo), ou que ao menos eu assumisse namoro antes que eu pudesse frequentar lá em cima. Tudo bem? Tudo bem. Não sou acostumado com cerimônias, mas tudo bem.
Isso fazia com que tivéssemos que transar dentro do banheiro do prédio dela(Sim, nos primeiros dias já estávamos apaixonados a esse nível). Tinha uma câmera em frente à porta, mas a gente ligava o foda-se e entrava mesmo assim.
Aí você se pergunta: porque não na minha casa, no meu quarto? Bom, eu dividia meu quarto com meus irmãos. Nosso AP. Era pequeno, apenas 2 quartos. Seria constrangedor, muito embora, algumas vezes considerarmos essa possibilidade mantendo meus irmãos fora, mas era difícil.
Alem disso, dona GERTRUDES não deixava Micaela vir pra casa de um amigo sem mais nem menos. Ela não deixava eu entrar na casa dela, porque ela deixaria a filha entrar na casa dos outros?(Lógica dela). Então as vezes, quase nunca, ela ia escondido pra minha casa. Portanto, o banheiro, quase sempre, era nossa única opção (lembrando, eu não tinha grana pra Uber, imagina pra motel).
Chegou o momento que a gente se cansou disso (3 semanas depois) e resolvemos assumir logo esse namoro. Dona GERTRUDES quis marcar um jantar para perguntar quais as minhas intenções com a filha dela. SIM, não era o pai que queria perguntar isso, afinal ela era....... MÃE SOLTEIRA. SIIIIIIIIM, LUBA, MÃE SOLTEIRAAAAAAAAAA. Pegou raiva né? Saiba que não é nada perto do que vc vai sentir.
Então o dia do jantar chegou. A mãe veio com a famigerada pergunta e eu armei um discurso todo fofinho... "Eu quero amar e respeitar sua filha, quero conhecê-la a fundo, saber dos seus desejos e sonhos de vida, quero aprender com ela e ensinar tbm" pra que que eu disse "quero aprender com ela"? Ela já deu sua primeira patada: "Espera um pouco... Aprender com ela? Minha filha não é professora de ninguém não!"
Eu comecei a dar risada achando que era zueira, mas eu via cada vez mais que não. Que ela estava falando sério mesmo.
"Que absurdo, num relacionamento ninguém ensina nada a ninguém não, tem que estar todo mundo maduro o suficiente sabendo das coisas da vida, e o homem é quem toma a frente e quem sabe mais das coisas, porque é o chefe da família! Se você assume essa postura você é um bunda mole, e eu não quero minha filha casada com um bunda mole. CASADA, sim porque você sabe que um namoro é um preparativo para um casamento. ALIÁS, sexo, nananinanão. Só depois do casamento. Entendeu, senhor Matheus? Aliás... Quantos anos você tem mesmo?"
"19..."
"Pois é. Você que é mais jovem não deveria casar com uma pessoa 6 anos mais velha que você. (Sim, ela tinha 25 anos) Ela tem que se casar com um cara mais velho, com condições de formar uma família. Você trabalha? Você tem uma casa própria? Não. Então eu não acho que você deveria namorar minha filha, mas eu não vou estragar isso no dia da inauguração desse namoro né? Eu abençoo vocês mas com a condição de que você deve assumir essa responsabilidade."
E eu: "Tudo bem."
Sim, Luba eu deveria ter terminado alí, mas eu gostava tanto de Micaela, e eu achava aquilo ridículo demais para ser verdade, além disso eu não sou um cara de se jogar fora, eu não ia deixar que ela me considerasse um cara qualquer, eu fazia faculdade de Medicina na Federal, tinha educação de moral elevada de berço, iria provar meu valor, mas foi muita falta de amor próprio da minha parte. "Deve ser só pressão" eu pensava... Aham... Vai achando!
Os meses foram passando, e eu ainda não podia entrar no convívio da casa de Micaela, e ela ficava cada vez mais ausente, e me dizia por whatsapp que a mãe estava vigiando ela, não deixou mais ela sair de casa por um tempo, até que, quando chegou no sétimo mês, ela me revelou que Dona GERTRUDES não quer mais que ela se encontrasse comigo. E eu "WTF???"
Eu comecei a xingar a mãe dela dizendo ainda "como ela pode controlar tanto assim a filha de VINTE E CINCO ANOS? Micaela, você tem que tomar a independência para sua vida! Não deixe sua mãe te controlar assim! É muita imbecilidade da parte dela."
"Matheus eu ainda não me formei, não tenho condições de construir uma vida sozinha, e apesar de tudo ela é minha mãe, e eu não quero viver brigada com ela!"
"E eu, tudo bem... Como que a gente faz então? Se encontra escondido?"
"Parece ser a única opção né."
Assim fizemos por algumas vezes até o dia que eu fui para o prédio dela escondido. Ela estava fazendo um projeto da faculdade sozinha. Dona GERTRRRRRUUUDES viu pela câmera do prédio e desceu.......................
Eu nunca fui tão humilhado na minha vida.
"O QUE VOCE ESTA FAZENDO AQUI? Eu já não falei pra você não ver mais a minha filha? Você é um imprestável, você não é suficiente para minha filha, você é um qualquer e minha filha merece muito mais. Você é jovem e vai viver muita coisa ainda, vai conhecer muita gente e se relacionar. E se um dia trair minha filha? O que eu faço? Não importa a idade dela ela sempre será minha filha e se você for a causa do sofrimento dela eu n sei o que eu faço com você. Eu sei porque eu vivi isso. Ok? Além disso, você acha que eu não vi vocês dois pela câmera quando entravam no banheiro? Eu vi você falando mal de mim pelo whatsapp da minha filha, alem das fotos dela pelada! Eu fiquei tão chocada com isso que eu não permito mais vocês dois juntos, vagabundo. Saia daqui, vai para sua casa, eu já falei com o condomínio para não permitir mais sua entrada aqui. Não fale mais com minha filha. Está avisado.".
Enquanto isso Micaela morria de chorar pedindo para a mãe não fazer isso e ela estava irredutível. Não me permitiu falar nada. As duas subiram. E eu andei 3km de volta pra minha casa com o coração destruído. Achando que tudo tinha terminado.
Cinco dias depois me liga Micaela dizendo que disse a mãe que ia na casa da amiga Jéssica que morava perto de mim algumas quadras, mas estava vindo para minha casa para conversar comigo, dizendo que não iria desistir de mim.
Conversamos, e daqui a pouco DONA GERTRUDES liga para Micaela dizendo que estava na rua de Jéssica para buscar ela, porque ela havia esquecido de resolver algumas contas da casa no banco e ela queria a ajuda da filha. Depois ela deixava de novo lá na casa da amiga.
Micaela entrou em desespero. Saiu correndo daqui. Chegando no portão da minha casa estava lá a Dona GERTRUDEEEEEEEEES. Ela tinha ativado GPS no celular da filha e sabia de tudo.
Do carro ela falou aos berros e buzinas que chamaria a polícia e me acusar de sequestro se a filha não saísse e entrasse no carro. Eu tive que chamar meu pai que estava trabalhando porque eu não estava aguentando essa situação. Ele chegou e viu a situação insustentável. Falou com Micaela e levou até o portão. Meu pai não falou nada. Chegando em casa ele falou comigo o quão sortudo eu era por eu ter me livrado da convivência com esse ser desprezível como sogra.
Nunca mais vi Micaela.
Fiquei numa depressão profunda durante meses. Pensando no que me aconteceu.
Meu amor foi arrancado de mim sem dó nem piedade. Como se eu a agarrasse e tivessem cortado meus braços para que eu a soltasse.
Depois disso tive alguns namoros que também não passaram dos 7 meses. Hoje estou solteiro. Sem ninguém para eu dizer "te amo". Ao menos não de uma maneira tão sincera quanto eu dizia a Micaela.
Fim.
submitted by Gab8786 to u/Gab8786 [link] [comments]


2019.12.11 00:19 Novel-Cardiologist Fiz meu namorado achar que o traí

Há um ano e meio conheci a pessoa que mais me amou e compreendeu até hoje. Nos fomos completamente felizes durante nosso 1 ano de namoro, um relacionamento baseado em total confiança. Há 4 anos tenho um quadro de depressão e ansiedade e ele sempre fez de tudo pra me ver melhor. Eu sempre fui cheia de traumas e problemas, diferente dele, que sempre teve uma vida perfeita. Eu sentia sempre que eu era o único problema dele. Só eu sabia realmente como ele ficava péssimo de preocupação nos meus quadros ruins.
para resumir o acontecendo: Em setembro, tive a pior crise de toda minha vida e estava decidida que iria me suicidar. Meu namorado sempre notava meus períodos ruins (mesmo por mensagem) e tentava me ajudar, mas eu simplesmente não queria preocupar ele e nem que ele me convencesse do contrário. Arrumei desculpas o mês todo pra não ver ele. Eu poderia fingir pra qualquer um que estava super bem, menos pra ele, que sempre me conheceu plenamente. Eu queria ir embora, mas o que mais me atormentava era deixar ele aqui sozinho, sentindo minha falta.
Então tomei a pior de todas as decisões da minha vida. Fui a festa de uma amiga minha, a qual meu namorado me acompanharia, mas inventei desculpa pra ele não ir. Passei boa parte da festa propositalmente sumida com um colega, ao contrário do que todos supuseram, não rolou nada entre nós. Apenas bate-papo. Ao chegar em casa, num ato de loucura, disse que o havia traído com aquele menino. A única coisa a qual eu pensava era que eu iria partir no dia seguinte e não poderia de maneira alguma deixar ele se culpando por mim. Tudo que vivemos foi tão lindo, tão intenso. Tínhamos tantos planos, e eu simplesmente não poderia deixar ele se culpando de viver e tentar seguir em frente sem mim. Eu menti pra ele, eu menti dizendo que fiz o que jurei que nunca faria (e realmente, nunca faria) porque se ele me odiasse, talvez não sofresse tanto com minha morte. Quando “contei”, ele não acreditou. Óbvio, o mundo todo sabe como a última coisa que eu faria era trair a pessoa que mais me amou na vida. Mas eu insisti muito que era verdade, e ele enfim acreditou. Já fazem três meses. Eu desisti de morrer, e perdi a pessoa que era mais importante pra mim. Ele seguiu em frente rápido demais (tentando tapar buraco, eu sei disso) e ficou com várias pessoas pra tentar não pensar em mim (as amigas dele me falaram o quão triste ele estava nas primeiras semanas). E quando eu fiquei bem, mandei uma mensagem pra ele. Eu queria contar, mesmo que ele não me perdoasse nunca por ter surtado é falado aquelas coisas, eu precisava contar, precisava que ele soubesse que eu jamais fiz aquilo. Gabriel não me respondeu até hoje, e parece estar bem. Sofro todos os dias por guardar isso, eu só queria que ele soubesse de toda verdade, que ele compreendesse que eu inventei aquilo por estar fora de mim e apenas pensei nele. É óbvio que nesses 3 meses muitas coisas mudaram e eu não esperaria que ele quisesse voltar (mesmo eu não tendo feito nada), apenas queria botar pra fora toda a verdade. Não tenho coragem. Não sei como chegar nele pra falar e morro de medo que ele não acredite nas minhas palavras. Também temo que exponha isso aos colegas e eles espalhem. Expor uma coisa tão pessoal minha, relacionada a meus problemas mentais, não seria bom para mim.
-Eu ainda te amo. Eu nunca faria aquilo, isso era a única coisa que eu queria te dizer. me desculpa por bagunçar tanto a tua vida no tempo que passamos e não passamos juntos, te desejo toda felicidade do mundo, e que você conheça alguém que te faça bem e seja menos difícil. Eu vou viver, e jamais vou esquecer da incrivel e corajosa pessoa que você foi. Vou sofrer por bastante tempo por guardar isso tudo pra mim.-
submitted by Novel-Cardiologist to desabafos [link] [comments]


2019.12.03 12:54 gabpac Um conto sobre um futuro distópico no Brasil, um Gulag num deserto onde era a Amazônia, um homem condenado a passar a vida cavando e tapando buracos -- e muito humor negro.

Eita nóis! Mas que buraco bonito esse, que tive até pena de tapar. Buracão. Tinha o que? cinco? seis palmos de fundura? Esse vai dar quase um dia inteiro para fechar. Porque eu já cavei aqui muito buraco. Vixe, muito buraco… Pra lá de quinhentos. Já sei que demora mais tempo para tapar do que para cavar. Que a gente já está cansado, né? Fez um buracãozão desses aqui, cansa as mãos. E daí sobra pouca energia para tapar, que a gente não tem descanso que ficar parado é ruim para o país.
Daí depois fica essa coisa da gente contar pro pessoal e o pessoal não acreditar. Pois então, tem o Luizinho, o Lulu das Botas, que ele tem bota — nós chegamos aqui de chinelo e de chinelo ficamos — então, o Lulu das Botas abriu um buraco ainda maior que esse que eu cavei hoje, faz uns meses. Ninguém aqui nunca tinha visto nada igual. Demorou um dia inteirinho para fechar. Daí, quando chegou aqui uma turma nova, a gente contava e eles nem acreditavam! Desse tamanho? Quanto? Vixe, menino, se era fundo? de pedir ajuda para sair dali de dentro! Assim de fundo! Até os guardas ficaram impressionados. Botaram uns feijões a mais na cumbuca do Luizinho naquela semana e bateram nele um tiquinho a menos. Mas esse pessoal novo não acreditou e não tinha foto para mostrar. Agora vão ver esse buracão daqui que eu cavei e vão ficar dizendo olha que buracão enorme! e vão contar para as próximas turmas que vão vindo — que não para de chegar gente aqui — e eles não vão acreditar, e eu vou dizer: ó, não disse? Agora vai lá se desculpar com o Lulu! que afinal de contas, o que resta para o Lulu, além da glória de ter feito um buraco assim tão lindo, e de ter botas, que, cá comigo, imagino, ajuda em cavar buraco e vai ver que foi por isso que ele consegue cavar tão fundo.
Eu até tinha pedido para um guarda para ficar com as botas do companheiro Evaristo, quando ele morreu há uns meses. Os guardas nem quiseram saber. Me deram um sopapo e levaram o Evaristo e as botas dele. Melhor assim, né? Que daí eu não fico com calor, que eu acho difícil que iam me deixar ficar de bota e guardar o chinelo comigo também. Tavam dizendo por aí que foram os guardas que mataram o Evaristo. Mas ele morreu mesmo foi de cansado. Já não cavava buraco como em outros tempos. Cavava, assim, dois, três palmos, e já cansava. Mandavam fechar logo. Deve ser para não desmotivar os outros que, se todo mundo começar a cavar buraquinho razo assim, o que vai ser da gente? Que serventia a gente vai ter… buraco sem fundura nenhuma… Mas o Evaristo tinha botas… devia ajudar a cavar, mas eu já nem sei mais. Já estou a tanto tempo aqui cavando e tapando buraco que já nem sei mais é de nada.
O que é bom, porque lá fora eu estava desempregado. Menino! Eu já ia desempregado por mais de quatro anos! Não tinha trabalho em lugar nenhum. Coisa nenhuma. Tentei em fábrica, em construção… Só que fábrica só ia era fechando. Uma depois da outra. Quase já nem tinha mais fábrica de nada. E construção foi minguando também. Tinha aqui, acolá, um palácio, um escritório do governo, mansão para algum bacana do governo, mais uma prisão, que prisão começou a ter bastante, né? Mas não conseguia emprego em lugar nenhum.
Então é bom, né? que eu vim para cá, que aqui eu tenho o que fazer. E mais! Eu ajudo com o futuro do país. Porque alguém aqui tem que vir e cavar buraco, dizem que tenque. Tenque cavar buraco, a gente cava. É o que os guardas mandam, e os diretores mandaram eles mandarem a gente cavar buraco. E quem é que mandou os diretores mandarem a gente cavar buraco? Foi o governo, que é quem manda mesmo. E se o governo mandou, é por que é importante para o país. Então, como eu amo meu país, eu vou lá e cavo. Daí me mandam tapar. O que é muito importante também. Tenque tapar o buraco, que se tudo ficar assim, esburacado, não vai sobrar terreno para gente cavar no dia seguinte, né não? Então eu entendo que tenque tapar. E os guardas mandam. E se os guardas mandam, já expliquei antes, foi ordem que veio do governo. Tenque tapar. E é como eu ia dizendo, alguém tenque fazer esse tipo de trabalho, e nesse caso sou eu, e eu faço bem, sou um dos melhores aqui! Mesmo sem bota. Cavo um corpo inteiro de fundura num dia e cubro tudo em menos de uma noite. Todo dia, que eu não tenho hora para descanso. O que é melhor que fora daqui, né? que eu ia desempregado, e agora eu tenho o que fazer, e ajudo o país que precisa de alguém para cavar e descavar buraco.
Eu reclamava do governo, sim, que eu não tinha trabalho nenhum e a família ia morrendo de fome. Veio um que disse que eu reclamava era demais que eu ia ser levado se seguisse desse jeito. E daí, quando me pegaram e levaram para cá, eu disse: era isso mesmo, né? Reclamei demais. Fora os tapas que eu levei — perdi o ouvido esquerdo — achei até bom, sim, que agora tenho ocupação e não peso mais para minha família, e agora não reclamo mais. Porque reclamar do que? Olha só como tem gente adoidado aqui, sô! E cada semana aparece mais uma turma para cavar buraco, que to achando que buraco anda em falta. Coisa boa poder participar, poder ajudar o país e fazer um negócio assim, tão importante.
Andaram me falando aí que pode acontecer de acabar a pá. E daí a gente já nem sabe mais o que é que vai acontecer com a gente se aqui fica sem pá. E quem disse foi o Treva. Toda semana chega mais gente. Eu vejo o tempo todo chegando caminhão de gente. Mas não tem caminhão de pá. Vai acabar a pá, né não? Que a terra não acaba. A gente cava, mas cobre de novo, daí dá para outro cavar no dia seguinte. Mas e a pá? Eu disse pro Treva não se preocupar, que tem bastante arma. Tinha antes de eu vir para cá. E dá para usar arma para cavar.
Tinha arma para todo mundo. Era bom, sim, que daí vendia na rua, vendia no mercado, a gente comprava, às vezes vendia, tinha bastante arma. Comida, menos, que me diziam que não tinha comida porque vendia tudo para China. Mas tinha, que eu via para vender. Eu é que não tinha como comprar. Nem comida, nem arma. Mas de arma eu não precisava, e a comida me diziam que era cheia de veneno, que matava. Roque, que era lavrador, disse que a irmã dele morreu de soja. Vai que eu entendi errado que, afinal, ninguém morre de soja. Mas dizia que a comida matava. Mais que as armas. Eu nunca dei um pio para reclamar, que eu sei que o governo tá aí para ajudar. E não é que tá mesmo? Que aqui eu como pelo menos duas vezes por semana. Às vezes três. E eu ganhei uma pá, que não é minha, é do governo, que ninguém aqui é soberbo a ponto de ter sua própria pá. Se faltar, já disse pro Treva, tem arma, que arma não falta e a gente podia usar fuzil para cavar.
Tem que deixar de ser abestalhado! me disse o Treva antes de sumir. Que ficar de assunto assim sobre arma, os guardas vão ouvir… que eles não têm pá. Não vão largar arma para gente cavar. Arma é coisa dos guardas. Não é para misturar. Eu ia dando razão pro Treva, que era esperto. Tão esperto que dizia: aqui nessa caatinga eles trazem caminhão de gente e nunca falta pá, nem diminui a comida. Você sabe por que? Eu dizia que não sei. Que o governo ajuda, dá comida e traz mais pás, oras. Mas ele ria de mim e eu achei que ele tava de brincadeira comigo. Disse depois que ia ser um bom cidadão e deixar mais uma pá à disposição do governo. Achei bonito dele, mas não entendi. Dizque saiu correndo pelo sertão. Aqui era floresta, acredita? mas o governo sabe o que faz e transformou isso daqui em sertão. Tá certo o governo! que cavar buraco no meio da floresta ia ser difícil. Treva nunca mais voltou e nunca mais deu notícia. Achei que um cristão esperto feito o Treva não podia ter se largado no meio do deserto assim, à pé, que a farofa com feijão que a gente come aqui é bichado e tem gosto ruim. Mas é garantido. Aqui eu como duas, às vezes três vezes por semana. Quero ver o Treva achar comida que nem essa lá do lado de fora. E trabalho, que trabalho não tem. Nem essa chance bonita de ajudar o país. Tem arma, sim, é, tem arma, mas daí já não precisa, que lá fora dá para achar umas pás para cavar, sem precisar usar fuzil.
Perna Fina falou que o Treva andava enrolado nessa coisa de fazer manifestação. Deus me livre e guarde, que isso é contra a pátria, contra o governo! mas o Perna Fina disse que é isso mesmo, que o Treva até levou tiro, tava lá quando a polícia largou chumbo naquela manifestação grande que teve, que morreu gente de amontoar um em cima do outro… que ele tava lá. Ô, papudo, o Treva nunca contou disso não, eu reclamei com o Perna Fina. Mas tava lá, o Perna Fina repetiu. Tava lá, e levou até tiro. E aí, Treva, como é que tu levou esse tiro aí na perna? eu perguntei para ele um dia, o Perna Fina me disse. Porque o Perna Fina era do crime, e sabia como era cicatriz de tiro. E daí o Treva contou. Eu fiquei chateado, né? Porque eu era amigo do Treva, e ele nunca tinha me contado isso. Nem que esculacharam ele e a família. Que daí eu acho que foi bom do governo, isso. As cidades tão cheias de gente, e tenque mais diminuir isso, né? E melhor que mate a tiro mesmo, que é mais rápido que de fome. E se for gente baderneira, que faz protesto e passeata contra a pátria, melhor ainda, que quem sobra a gente sabe que é gente do bem. Perna Fina contou que levaram a família do Treva pra não sei onde e que lá pegaram as crianças dele e que sei lá mais o que, o que me deixou chateado, que o Treva era meu amigo, e ele nunca tinha me contado essas coisas. E eu nem sabia que ele era dos que saiam para protesto na rua… Deus me livre, que o governo dá comida e pá e serviço e ele sai na rua pra protestar? Fico abalado. Fico mesmo, que os guardas batiam nele mais do que batem em todos nós. Acho bom que batem, que a gente não desacostuma e até ganha têmpera para fazer o serviço melhor. Treva era meu amigo, e eu achava aquilo errado. Mas agora não sei mais não. Governo dá comida, duas, até três vezes por semana! dá serviço para gente não ficar assim, à toa, e dá pá para poder fazer o serviço… Não conformo.
Aqui e ao redor tem nada não. Tinha floresta e tinha rio. Mas o governo sabe o que faz e tirou a floresta daqui porque dizque faltava comida e era para plantar comida e eu acho muito certo, que agora aqui e tudo ao redor tá muito seco e não cresce mais nada, que aí é bom, que não tem mais bicho e nem mais gente para comer comida, e daí tem mais para quem sobrou, que quem sobrou é gente de bem e não sai para protestar e nem reclamar do governo, que nem eu reclamava e não reclamo mais. E daí não tem mais rio, que parou de chover também. O que eu acho bom, que não faz falta de chover no deserto, né? Desperdício de água! Melhor que chova nas cidades, onde essa gente ingrata fica protestando e depois deixa tudo sujo de sangue e corpo de gente ingrata. A chuva ajuda a limpar. E se chovesse aqui, como é que eu ia cavar os buracos que o governo mandou os diretores mandarem os guardas me mandarem a cavar? Ia encher tudo de água e a gente não ia ter como tapar depois, as pás iam enferrujar mais rápido e daí a gente ia ficar sem pá para cavar e descavar os buracos que tenque cavar e descavar. Daí a gente ia ter que cavar com o que? Fuzil? Não, não. Nisso o Treva tinha razão, não é para ficar falando de arma aqui dentro. Lá fora pode. Aliás, lá fora quem não fala de arma, a gente já sabe, não é nem para dar confiança.
E eu nem to aqui há tanto tempo assim que eu nem me lembro direito como é que era lá fora, lá na cidade. Que tinha cidade, essa que eu vivia, antes. Depois deixou de ter, que mandaram fechar. É que tinha uma fábrica só, que fazia pás, mas de resto era só gente com fome, e gente que saía para protestar. Eu acho que o governo tava era muito certo em acabar com a fome, que fome é uma coisa muito ruim. Depois que fechou a cidade acabou a fome, que quem tava lá trabalhava na fábrica e tinha comida. Não era assim bem como aqui, que era também duas ou três vezes por semana, mas era bem ralinho, que eu ouvi dizer. Mas acabou a fome. E acabou o desemprego também, o que eu acho muito bom, porque gente sem trabalho é uma coisa muito ruim. E os guardas da fábrica nem batem tanto quanto os daqui. E agora eles fazem pás. E balas. Que a polícia precisa de balas também, né? Agora que todo mundo pode ter arma fica faltando bala. Quer dizer, bala para atirar, que bala atirada tem bastante, o que eu acho muito bom, que daí fica menos gente. Governo tá é muito certo, viu? Eu lembro quando era só bandido que podia ter arma, que nem faz tanto tempo assim que eu nem lembrava como é que é. Bandido matava mesmo. Qualquer um! Nem via se era cidadão de bem, se era gente boa, se andava nas esquerdas, que nem era meu filho. Que meu filho morreu de bala de bandido e nem fazia protesto, nem era das esquerdas e nem reclamava que estava sem trabalho, como eu. Graças a Deus agora o governo resolveu esse problema, que dava muito medo de andar na rua e levar tiro de bandido. Que antes só bandido podia ter arma. Agora todo mundo pode ter. Eu não tinha, que era muito dinheiro e eu tentava comprar comida, que também era muito dinheiro e eu era desempregado. E o governo resolveu isso também. Hoje não to aí largado, faço um serviço para a pátria e ganho comida. E uma pá. De onde, meu Deus, de onde eu ia ter dinheiro para comprar uma pá? Não dava, né? E antes de eu vir aqui eu não tinha pá. Nem dinheiro para pá, nem arma, nem comida. Me tiraram a casa quando fecharam a cidade. O que eu acho muito bom, que tinha muita droga e muita violência lá onde eu morava. Agora a gente está salvo disso, né? Acho droga uma coisa muito ruim. Saí de lá feliz, que lá nem tinha esgoto, nem água, que a água acabou, que dizque a chuva não chove mais onde tinha que chover, mas não pode falar disso que é coisa de comunista e de gente que faz protesto, perdão meu Pai, eu acho que tá é certo mesmo, que falar só atrapalha o governo e melhor ficar quieto e deixar eles fazerem o que tão fazendo tão bem. Nem água, nem esgoto, melhor que a gente sai dali mesmo, que tinha droga e violência e nem tinha mais água de beber.
Depois, quando fui para o abrigo, também não tinha água, nem esgoto. Mas era porque não tinha chegado, que era para ter paciência, que o governo ia arrumar. Eu achei muito bom, que antes, na cidade, não tinha essa de esperar para chegar, que ninguém falou que ia ter água, que ia ter esgoto. Não tinha e ninguém falava. Agora, pelo menos, tavam dizendo que ia ter, que era para esperar. Também não tinha trabalho, nem comida, que tinha sim, mas era muito cara e a gente se virava como podia, porque também não tinha esgoto, então às vezes se via um ratão, lixo que vinha do governo cheio de coisa boa, que também era ajuda. Só que não tinha trabalho e eu disse pro Zoio, ó Zoio, não tem trabalho. Já estou há mais de quatro anos sem trabalhar e o Zoio, que é cuidadoso disse que era melhor eu não ficar reclamando que, lembra do Cheno? O Cheno levaram, então melhor acalmar. Mas levaram para onde? Para onde tem para levar? Que eu não tinha para onde ser levado depois que me levaram de casa para o abrigo. Vão me levar para onde? E o Zoio ficou brabo comigo e virou as costas. Deu dois dias e uns guardas vieram. Pois finalmente o governo se mexeu! Abença! Me pegaram os guardas e me perguntaram se eu fazia protesto, se eu fazia passeata e eu dizendo que não, que não fazia nada disso, que eu era cidadão de bem. E eles perguntando se eu tinha arma, e eu com medo de dizer que não tinha e eles acharem que eu era comunista e não gostava de arma. Então eu disse que tinha mas vendi para comprar comida e eles me batendo. Diziam que era mentira minha e eu não! Eu gosto de trabalhar, eu não sou vagabundo comunista não. E eles me penduraram de assim, que era para o sangue ir para a cabeça e eu pensar melhor, o que eu achei muito certo e eles gritavam tava fazendo o que, então, perguntando qualé de não ter trabalho? que te pegaram perguntando por que é que não tem trabalho… você é comunista sim, que essa coisa de pedir emprego para todo mundo é coisa de comunista, né não? Nem tem arma e já vai dizendo que é cidadão de bem. Acho que foi aí que eu levei o tabefe que arrebentou meu ouvido, mas eu não lembro direito. Só sei que eu dizia que não, que eu não era comunista, nem vagabundo, que eu não estava pedindo trabalho para todos, que isso não é coisa de cidadão de bem, que tinham ouvido errado, eu tava perguntando sobre trabalho para mim mesmo.
Foi aí que me botaram num caminhão e eu viajei pendurado por uns dois dias porque graças a Deus eles viram que eu não era comunista e nem veado e nem da macumba. E como eu era um cidadão do bem, me deram uma pá e um prato com uns feijões, assim, numa cumbuca com o desenho de uma Estátua da Liberdade, e daí eu fiquei feliz e vi que tava tudo bem. Foi o Treva que veio dizendo ó, come devagar e aproveita, que um pote assim, só daqui a dois dias. Eu achei ótimo, que o pote nem tava cheio, e eu já estava comendo mais do que comia lá fora.
Tiro de bandido eu não arrisco de levar mais. Aqui não tem esgoto correndo pela rua, é tudo dentro da vala. A gente ganha dois copos por dia de água quase limpa e eu nem tenho que pagar por isso! Eu não tenho arma, é verdade, mas tenho uma pá. Não é bem assim minha, mas todo dia o governo tem uma pá para mim. Quase sempre inteira. Aqui ninguém tenta fazer protesto nem fica reclamando. Nem tem comunista. Nem veado, e nem macumbeiro. Durmo quase todas as noites e como duas, às vezes três vezes por dia. De graça! E o governo até me deu trabalho. Já abri e fechei mais de quinhentos buracos, por aí. Eu vou é reclamar de que, né?
https://medium.com/@gabpac/ai-38-e-a-buracoliza%C3%A7%C3%A3o-da-na%C3%A7%C3%A3o-f06a6ec89a39
submitted by gabpac to brasil [link] [comments]


2019.11.30 04:18 IWishIWasMoreLikeMe Galera, eu só quero falar um pouco sobre minha vida e sobre a situação ruim que passei hoje com meu pai

TLDR: Levantei o tom com meu pai que me tratou mal durante minha vida, acabei sendo enforcado, quero ajudá-lo a tratar essas emoções ruins que ele sente pois ele é uma boa pessoa, tenho medo que faça algo ruim a si mesmo antes que de fato se dê a chance que merece, meu pescoço está doendo um tanto e devo ir para o hospital(minha namorada me convenceu a ir). Vou tentar ajudá-lo, se não for possível, ajudarei minha mãe com a separação. Espero muito que as coisas deem certo.
Primeiramente, me desculpem caso esse tipo de post não devesse estar aqui, eu pretendia escrever em um local como relationship_advice mas em inglês talvez as coisas ficassem mais incompreesíveis do que já estão.
Procuro apenas visões sobre a situação em que me encontro, já ajudei bastante gente pela internet, é minha primeira vez procurando ajuda e me "expondo". Bem não quero escrever um mega texto, conforme os possíveis comentários eu posso ir oferecendo mais e melhores detalhes, mas aqui vai um tantinho sobre mim: Tenho 20+ anos, estudo de maneira autoditada sobre ciência da computação, desde pequeno gosto principalmente de computadores, linguagem e física, atualmente faço freelances em cybersecurity(consultoria, bug bounties e reversing de malware) e tento fazer o possível pra estudar um pouquinho a cada dia.
Consigo dinheiro para pagar minha internet, presentes pra minha namorada e as vezes sobra um tantinho também para investir, mas me sinto mais destruído a cada dia... Minha namorada que também é minha única amizade simplesmente tem sido tudo que me dá forças nos últimos 3 anos. Devo a ela grande parte do progresso que tenho tido em minha vida, caso ela veja isso, eu te amo muito meu anjo, muito obrigado.
Bem, meu pai tem 60+ anos, é aposentado pelo exército, e hoje trabalha como vigilante, madrugada sim, madrugada não. Tem duas filhas com outra mulher que o expulsou de casa(recentemente descobri que a mãe dele também o expulsou), porém ele ainda o envia dinheiro pra eles e paga o aluguel, até ano passado ele no papel ainda era casado com essa outra mulher, depois de muita luta minha mãe conseguiu a "União Estável"(A outra mulher ainda se achou no direito de tirar metade do pouco que ele tem...). Ele ajuda com as contas de luz, água e leva minha mãe no carro quando é preciso, as vezes resiste um pouco, mas nunca o vi negar isso.
Bem talvez já esteja óbvio, eu ainda moro com meus pais, e sinto que as coisas são mais difíceis do que o necessário há muito tempo, infelizmente grande parte da minha memória parece ter sido apagada, acredito que por conta da depressão que tive a partir de meus 13 anos e não ter tido amizades pra reforçar as lembranças... mas tenho lembranças de minha mãe chorando, deles brigando diariamente, meu pai insultando tanto a mim quanto ela, e nós sempre ficando calados diante dessas atitudes. Nós dois sempre vivemos com medo de errar, eu sempre vivi com medo de contrariá-lo e até de brincar com ele, mas eu tive o privilégio de conseguir viver mais tempo olhando pra uma tela e estudando, fugindo dessa realidade, já minha mãe teve e meio que ainda tem que conviver com ele diariamente(não tanto nos últimos tempos porque comprei um celular pra ela) uma cama pra finalmente conseguir dormir(o que claro deixou meu pai triste :\) e uma Smart TV(ela sempre quis uma), ela internou duas vezes nos últimos 4 meses por estar com fortes enxaquecas, o médico me puxou para um canto e me disse o que eu já suspeitava "Isso é psicológico, puro estresse"
Há pouco mais de 1 ano minha mãe me contou que meu pai anteriormente deu um soco nela, e no dia que ouvi isso eu simplesmente fiquei triste, eu não esperava isso dele, apesar das más experiências... na verdade eu até imaginava que algum dia ele podia partir para a violência, ele sempre foi muito raivoso, mas eu não consegui acreditar que isso já havia acontecido... Bem, meu pai sempre foi de acusar a gente de cometer erros, de fazer o que na verdade ele faz com a gente "Vocês xingam" nunca o xingamos... "Vocês não me deixam falar" Só comecei a interrompê-lo de um ano pra cá, mas já quis fazer isso incontáveis vezes no passado, quando ele não foi capaz de perceber que estávamos desconfortáveis com o que ele estava falando ou até em vezes que vi ele sendo injusto "Vocês não falam direito e querem que eu adivinhe" Logo adiante verão que ele quem fez isso hoje mais cedo... "Vocês querem me deixar louco" O que eu posso dizer que durante minha crise por volta dos 14 anos eu também desenvolvi uma paranóia aonde eu achava que todos queriam me fazer algum mal, todos eram inimigos, isso colaborou muito no meu isolamento, sem amizades, sozinho, apenas consumindo livros e passando muitas madrugadas ouvindo a mesma entrevista do Richard Feynman em loop. Bem, certo dia eu tirei coragem de algum canto, e nesse dia conheci o amor da minha vida, com ela aprendi e tenho aprendido como eu provavelmente cresci em um ambiente um tanto hostil... mas eu nunca levei essa ideia muito a sério...
Eu sempre fui chamado de burro, tanto pelas crianças a minha volta durante a infância, quanto pelo meu pai de diferentes maneiras, e confesso que eu de fato sou um tanto lentinho(apesar de minha mãe dizer que eu falo muito rápido), já fui chamado de "retardado" por uma professora de inglês e durante muito tempo eu fracassei miseravelmente em contas matemáticas porque eu simplesmente não entendia os "porquês" por trás das regras... mas na internet encontrei o necessário pra certo dia conseguir ser chamado de "inteligente" apesar de nunca ter buscado isso, apenas me distanciei das pessoas e fiquei estudando, foram duas professoras, de química e história, também deixei um professor de matemática muito orgulhoso com minha apresentação falando sobre os planetas do sistema solar e minha explicação sobre as equações descritivas da gravidade, ele foi o professor que despertou meu interesse por matemática, ele me explicou que existia lógica por trás das regrinhas, um dos melhores dias da minha vida
Já me consultei com quatro psiquiatras e uma psicóloga, mas foi no meu primeiro psiquiatra por volta dos 14 que eu acho que devo ter tido a dica de qual era meu real problema, naquele consultório eu chorei bastante nos momentos que ele perguntou sobre meu pai, infelizmente meus pais me tiraram de lá porque achavam que ele pensava demais ao invés de dar uma solução. "Ele é meio bobo" esse foi o comentário do meu pai sobre o médico, pode não parecer um comentário tão ruim, mas o "bobo" dele pra mim é algo já bastante carregado. Pois bem, estou escrevendo muito, tá quase uma copypasta isso... Indo direto ao ponto... eu subi num pé de laranja que temos atrás de casa, inclusive agradecendo por poder comer laranjas que meu pai cultiva, então ele entrou em casa irritado dizendo "Não entendo porque a mãe(sim ele chama a esposa de "mãe"...) faz certas coisas..."
Minha mãe então começou a retrucar "O que eu fiz?" "Qual foi meu erro?" E ele não estava (como de costume) comunicando diretamente o que ele viu de errado, não estava facilitando pra ela... ele tende a achar que os outros não merecem facilitação(porque ele diz que nunca teve)
Essa foi nossa segunda grande briga, na primeira vez eu levantei o tom com ele, choramos... nos abraçamos... eu falei pra ele como eu admirava ele apesar dos erros, e tentei dizer pra ele como ele precisava aprender a ser mais querido com sua esposa e começar a pedir desculpas... as coisas não mudaram muito
Bem, hoje eu resolvi me meter de novo nessa discussão deles "Qual o problema pai?" "Sua mãe disse que trocou a água dos cachorrinhos, eu fui lá e a panela não foi trocada" São cachorros pequenos que ficam no terreno nos fundos de casa
Eu acabei insistindo no fato dele ter demorado tanto pra falar o problema
"Tá mas por que você não falou logo qual era o problema pra mãe?"
"Não adianta, vocês querem me deixar louco" "Eu não quero te deixar louco, eu estou comendo laranja"
"Vão lá atrás os dois e vejam aonde tá a água"
E de fato minha mãe esqueceu de dar água para os cachorros, mas eu tentei tranquilizar a situação
"Tudo bem pai, a mãe errou faz parte, eu levo lá pra eles a água"
Eu o ouvi resmungando, e infelizmente eu já não lembro mais o que foi dito a partir daqui...
Mas quando eu voltei eu disse "Negativo!" com um tom de voz alto e levantando o dedo, eu sei que eu estava tentando mostrar pra ele como ele mais uma vez estava invertendo as coisas...
Meu pai se levantou, veio até mim e eu me afastei, meu pai continuou vindo até mim e eu o empurrei, foi então que ele começou a apertar meu pescoço... Eu coloquei minhas mãos no pescoço dele também e o empurrei pra longe Ele ficou dizendo "Quer me bater?" e eu fiquei dizendo que não, minha mãe se meteu no meio e ele ficou me olhando com raiva e acho que ele tentou mais uma vez vir pra cima de mim "Por que você fez isso?" "Você se acha mais forte do que eu!" Dessa vez ele estava levantando a voz e o dedo "Você já vem me ameaçando há muito tempo!" Eu disse pra ele que não, não era minha intenção ameaçá-lo, ele disse que eu o ameacei ao levantar o dedo e minha voz Pela... milésima vez escutei minha mãe dizer " Isso passou dos limites, não dá mais"
E bem... meu pai disse "Você ainda vai perder teu pai" e eu retruquei "E você ainda vai perder teu filho" Ele foi lá para os fundos, com as mãos nos ouvidos(ele costuma fazer isso) mas dessa vez como na primeira eu insisti... eu conversei com ele mais uma vez... ele chorou quando falei sobre o que eu acho que ele sente... choramos bastante Basicamente ele passou pelo mesmo abuso durante a infância e tem cometidos erros porque não teve um amigo pra lhe dizer as coisas que eu o tenho dito nesses últimos meses além de sempre ter se negado a ceder a um "idiota que não resolve nada" vulgo psicólogo, ele não é fã de pessoas "que se acham"... enquanto isso ele diz coisas como "Eu to sempre certo" Mas bem... nos abraçamos de novo, eu pedi desculpas por levantar o dedo e a voz com ele, ele botou as mãos no meu pescoço fazendo carinho e chorando e disse algo como "Você sabe que minhas mãos não querem te fazer mal"
Minha mãe tinha uma viagem pra ir... cancelou... a convenci de ir já que já estava paga e acredito que pode ser bom pra ela...
Meu pescoço dói bastante ainda, e minha mãe tirou fotos das marcas que ficaram(eu nem havia notado tais marcas, não costumo me olhar no espelho) Eu devo fazer BO? Dói pensar em fazer isso...
Eu não sei ao certo porque minha mãe não se separou dele, ela disse já ter tentado mas parece que "ele não sai, e eu não vou deixar minha casa" mas hoje eu tendo a achar que é por conta de eu ainda não ter um carro(tentei tirar a CNH mas a porcaria do carro no dia da prova deu problema nas 4 semanas que fui, por sermos uma família não comunicativa nem sequer processamos a auto-escola(meu pai pagou as aulas))
Bem... por enquanto é isso jovens, estou com medo, bastante triste, mas com esperança de que posso conseguir ajudar meu pai a resolver os problemas que ele não resolveu até hoje. Eu quero ele bem, só tenho medo de não estar vendo as coisas como talvez eu deveria... Eu disse pra ele que não vou relevar esse dia acima da boa pessoa que sei que ele é, meus pais não se amam mais, eu disse isso pra ele, ele parece ter concordado com essa afirmação. É uma situação aonde duas pessoas boas juntas se tornaram ruins, e infelizmente eu estou no meio dessa confusão. No momento vejo dois caminhos possíveis, eu início o "tratamento" dele conversando com ele como nunca fizemos antes na esperança dele considerar ajuda profissional, e caso eu não veja isso como possível, farei o possível pra ajudar minha mãe a se separar dele. É
Obrigado de verdade por ler um pouco sobre mim, desculpe pelo péssimo texto, cabeça tá meio zoada.
submitted by IWishIWasMoreLikeMe to brasilivre [link] [comments]


2018.11.22 18:05 Dinohobby Traduzi o famoso GT "don't worry, he knows"

Traduzi o famoso GT
esse texto é uma merda e eu não sei formatar pra ficar igual uma gt aqui, mas pelo menos agora quem não sabe inglês pode sofrer junto


https://preview.redd.it/bcoado4y4xz11.jpg?width=261&format=pjpg&auto=webp&s=9c3cf2b86d140599c553c4bc46be215a16d80839


O que fazer /b/? Estou apaixonado pela mesma garota por basicamente minha vida inteira, mas a situação tá tão fodida agora que eu não sei como parar de ligar pra ela.
> apaixonado pela mesma garota minha vida toda
> conheço ela desde o jardim da infância
> os pais dela são pobres e vivem numa casa com um quarto e quatro crianças então ela vem dormir aqui quase toda noite
> saímos juntos quase todo dia por anos
> todos nossos amigos faziam piadas sobre a gente se casar um dia
> ela sabe que eu gosto dela e ela diz que sente o mesmo mas que “não quer rotular isso”
> consigo ficar com ela, mas nada além disso
> ela diz que gosta muito de mim e que tem medo de que vamos acabar fazendo “aquilo” se a gente tentar mais alguma coisa
> decido continuar sendo virgem até me casar com essa garota
> nós dois costumamos sair com dois garotos (vamos chamar eles de Eric e Dave)
> no geral é a gente jogando Halo na minha casa
> às vezes fumar uma verdinha quando Eric consegue um pouco
> falamos sobre festas mas nunca fomos convidados
> Eric começa a andar com o primo viado e velho dele de vez em quando
> Zoamos ele por sair com um cara de 37 anos
> Diz que o primo compra cerveja e deixa ele fumar na casa dele
> Bomporquenaodisseantes.jpg
> Começamos a ir pra casa do primo dele beber e jogar Halo uma vez por semana quando a esposa dele leva as crianças para ver os pais dela
> Ele compra a breja, tem comida, jogos, não é ruim
> Às vezes ele tem uma atitude cuzona de ficar mandando na gente e se achar o rei dos nossos rolês semanais mas foda-se
> Começo a trazer minha pseudo namorada pra lá
> Primo sempre tá de olho nela mas ela tá acostumada em ser a única garota dos nossos rolês então de boa
> Mesmo que esse velho fodido saiba que essa mina tá fora dos limites ele continua tentando dar em cima dela
> Pior parte é que ela parece não ligar
> Um dia ele pergunta por que não aparece que eu sou o namorado dela no face
> Mcq ela diz “ah, ele é mais um melhor amigo que qualquer outra coisa”
> Ódio pulsante quando ele diz “zé, tu tem que prender essa mina cara, ela tá transando”
> Só vemos esse fodido uma vez por semana e ela continua dormindo na minha casa sempre então acho que não vai dar em nada
> Eu continuo falando pra ela que ele é um pau no cu
> Ela concorda comigo mas diz “você me conhece, eu nem sei ser rude”
> Além disso a gente não pode simplesmente parar de ir, nosso ritual tá bem estável nesse ponto
> Uma hora começamos a misturar bebida com Halo, halobida
> Somos retardados não pensamos nisso antes
> Primo velhote fodido fica criando regras aleatórias toda vez
> “regras da casa” como ele diz
> Como a pseudo namorada não joga, às vezes ele cria regras envolvendo ela
> Ela tem que tomar as cervas se tiver um multikill, merda assim
> Um dia ele propõe que ela tenha que sentar no colo de quem ganhasse o próximo jogo
> Esse merda é o melhor de nós, então obviamente essa regra é pra ele
> Eu começo a falar “cara eu acho que ela não quer...”
> Quando ao mesmo tempo ela ri e diz “vocês viu...” implicando que tudo bem
> Me sinto como um baita viado por tentar proteger demais e vou na onda deles
> Ela fica a maior parte das próximas horas no colo dele
> Emputecido quando a gente foi pra casa, eu brigo com ela e depois nos reconciliamos como sempre
> Continua sendo essa merda pelas próximas vezes
> Maior parte das vezes sentadas de colo
> Às vezes fazem ela dançar uma “dança sexy só de zoas”
> Nada que eu possa ficar publicamente puto por
> Meu tio tem um casamento no mesmo dia que um desses rolês acontece
> Peço pra ela não ir
> Ela diz “provavelmente ela não vai”
> Peço de novo, praticamente implorando dessa vez
> Ela diz que vai tentar não ir mas que os garotos enchem muito o saco e que ela não sabe dizer não
> Ambas declarações são corretas, mas eu fico puto com ela e falo pra ela ter bolas o suficiente pra isso
> Brigamos de novo
> Não tenho tempo pra reconciliar antes de ir pro casamento
> Tenhoummalpressentimento.jpg
> Nervoso o fim de semana inteiro
> Falo com ela por mensagens na viagem de volta com meus pais, ela diz que vai me ligar quando eu voltar, pelo tom de voz dá pra saber que ela se sente culpada
> Aicaralho.png
> Acontece que ela ficou bêbada demais e eles implementaram stripping no jogo, primo, Eric e Dave viram ela completamente nua
> Queporraéessa.jpg
> Brigamos de novo
> Mcq eu percebo que eles tiveram mais prazer sexual com ela que eu até agora
> Penso que acabou, terei que procurar uma nova vida social agora
> Ela me chama de madrugada e vem em casa
> Chora pedindo desculpa, diz que tem um problema muito complicado com falar não e que vai tentar consertar isso
> Perdoo ela e vamos para a cama dando abraços
> Bem estranho com Eric e Dave a próxima vez que vejo eles
> Não falamos sobre o assunto mas eventualmente temos uma conversa de perdão meio estranha já que eu tô claramente bravo
> Ela para de ir na casa do primo pau no cu por um tempo
> Uma hora ela volta a ir
> “para consertar todas nossas amizades” ela diz
> As coisas de forma lenta mas firme começam a evoluir para o que era antes
> Eu sei que eu tenho que colocar um fim nisso
> Percebo que álcool é a principal diferença da minha casa para a casa do primo
> Começo a pegar bebidas do armário dos meus pais quando a gente joga Halo em casa
> Não sei muito bem o que eu tava pensando já que a gente continuava indo pra casa do primo
> Uma hora meus pais descobrem
> Minhas notas também tão caindo
> Combo deixa eles putos pra caralho
> Pseudo namorada não pode mais dormir em casa e eu não posso sair por uma semana
> Pseudo namorada e eu brigamos por isso e eu nem lembro o porquê
> Recebo mensagem do primo uns dias depois falando que ele vai ter a casa vazia e que é pra gente ir
> Noooooooooooooooooooooooooo.jpg
> Tento sair escondido mas sou pego
> Fico ligando pra ela o tempo inteiro mas ela ainda tá brava comigo e não atende
> Dia seguinte ainda sem contato, fim de semana então não vejo ela na escola
> Queporraéssaqueporracaralhoéessa.jpg
> Enlouqueço praticamente tendo um surto emocional
> Vejo ela na escola quando a Segunda finalmente chega
> Ela me ignora o dia todo
> Ela vai pra casa antes de eu poder encontrar ela depois da aula
> Chamo ela uma porrada de vez, falo pra ela que meu castigo acabou e que eu realmente quero falar com ela, se tiver acabado pelo menos que ela me fale isso
> Encontro Eric e Dave, muito nervoso para perguntar de forma tranquila o que caralho aconteceu
> Muito fodendo estranho mas basicamente eles me dizem que jogaram strip Halo de novo
> Eric vaza na hora mas Dave me diz depois que Eric e o primo filho de sete putas tavam passando a mão nela enquanto ela tava meio desmaiada
> Diz que ele sente muito e que tentou impedir
> Não tenho mais ninguém pra ficar puto então desconto no Dave
> Uma hora ela me manda uma mensagem dizendo “você age como se houvesse algo para terminar”
> Mostro essa merda pro Dave e saio correndo chorando pra caralho
> Muito envergonhado para sequer lembrar disso
> Penso que minha vida acabou
> Ela vem em casa aquela noite, sem mensagens, sem ligação, sem nada
> Soluçando na porta
> Nem sei como ficar puto com ela
> Eu falo que tudo bem, eu ouvi o que aconteceu e te perdoo
> Ela continua chorando e a gente vai dormir
> No meio da noite ela solta um “eu te amo”
> Inexperadamenteomelhormomentodaminhavida.jpg
> Nem penso direito e falo “também te amo”
> “não importa o que aconteça?” ela pergunta
> Eu digo que sim
> Perguntar se não importa o que aconteça continua por um tempo
> Tenho um mal pressentimento
> Ela diz que não tinha pra onde ir depois que meus pais não deixaram mais ela vir dormir em casa
> Que ela odeia ficar na casa dela e como eu sabia o quanto ela odiava os pais dela
> Ela admite ter falado isso pro velhote por mensagem quando tava indo pra casa na Sexta (dia que o strip aconteceu)
> Ele diz que a casa dele tá livre até Segunda, e convida ela pra ficar lá
> Eu tô tremendo enquanto ela fala isso
> O jeito que ela estava agindo finalmente se encaixou e fez sentido na minha cabeça
> Nunca tive uma epifania desse jeito
> Eu nem tenho que perguntar mas eu faço mesmo assim
> Ela diz que eles foram até o fim
> Nem sei por que eu perguntei os detalhes mas eu precisava
> Quantas vezes?
> Ela diz que não sabe uma porrada de vez e no fim termina falando que foram 5
> Você gostou?
> Ela diz que não mas eu pressiono ela e ela diz que teve um orgasmo
> Que posições?
> Missionário e de quatro
> Preservativo?
> Pausa, não.
> Nós dois estamos chorando o tempo todo
> Ainda em estado de choque na manhã, ela tomou uma pílula do dia seguinte pelo menos
> Nós ainda estamos meio estranhos nos próximos dias mas eu tô estranhamente positivo
> Ela diz que me ama o tempo todo, antes não me dizia nunca
> Oficialmente colocamos isso no face
> Todos na escola souberam o que houve mas não dão sequer uma foda
> Damos a mão o tempo todo, dizemos um para o outro que enquanto tivermos um ao outro estará tudo bem
> Chega ontem
> Recebo uma mensagem do primo falando para eu ir lá
> Quase dou risada por ele pensar que nós vamos
> Depois das aulas eu procuro minha namorada, de verdade agora
> Vejo ela com Eric e Dave
> Ainda putasso com Eric, então já tá um clima ruim
> Mcq eles dizem que tão indo pra casa do primo
> Eu nem sei o que dizer
> Eu falo que não vou
> Quando fica claro que eles vão eu indo ou não eu acabo cedendo e indo junto
> Jogamos Halo e bebemos um pouco
> Tão bravo que nem sei o que fazer
> Sentimento de estranheza é ainda pior
> Sinto que nem sequer estou lá
> Tento fazer ela ir pra casa várias vezes, Eric e o primo convencem ela a ficar
> Ela fica no meu colo o tempo todo, meus braços ao redor dela
> Acabamos assistindo Prometheus
> Dave foi pra casa nesse ponto
> Cometi o erro de me levantar para pegar cerveja
> Quando eu volto ela está no colo do velho filho da puta
> Pergunto pra ela se está tudo bem
> Ela diz que sim
> Ela e o escroto começam a se beijar
> Eric diz “cara, relaxa”
> Mcq ela diz para ele “não se preocupa, ele sabe”
> Eu falo pra ela que eu estou indo pra casa
> Ela diz que vai ficar
Isso foi noite passada, eu não falei mais com ela depois disso.





é isso, se alguém quiser que eu mude alguma coisa é só falar
submitted by Dinohobby to brasilivre [link] [comments]


2018.11.22 18:02 Dinohobby Traduzi o famoso GT "don't worry, he knows"

Traduzi o famoso GT
esse texto é uma merda e eu não sei formatar pra ficar igual uma gt aqui, mas pelo menos agora quem não sabe inglês pode sofrer junto

https://preview.redd.it/kbb85loj1xz11.jpg?width=261&format=pjpg&auto=webp&s=025aeb7a52941a245760c0c67bcb8d1e971aaa6f

O que fazer /b/? Estou apaixonado pela mesma garota por basicamente minha vida inteira, mas a situação tá tão fodida agora que eu não sei como parar de ligar pra ela.
> apaixonado pela mesma garota minha vida toda
> conheço ela desde o jardim da infância
> os pais dela são pobres e vivem numa casa com um quarto e quatro crianças então ela vem dormir aqui quase toda noite
> saímos juntos quase todo dia por anos
> todos nossos amigos faziam piadas sobre a gente se casar um dia
> ela sabe que eu gosto dela e ela diz que sente o mesmo mas que “não quer rotular isso”
> consigo ficar com ela, mas nada além disso
> ela diz que gosta muito de mim e que tem medo de que vamos acabar fazendo “aquilo” se a gente tentar mais alguma coisa
> decido continuar sendo virgem até me casar com essa garota
> nós dois costumamos sair com dois garotos (vamos chamar eles de Eric e Dave)
> no geral é a gente jogando Halo na minha casa
> às vezes fumar uma verdinha quando Eric consegue um pouco
> falamos sobre festas mas nunca fomos convidados
> Eric começa a andar com o primo viado e velho dele de vez em quando
> Zoamos ele por sair com um cara de 37 anos
> Diz que o primo compra cerveja e deixa ele fumar na casa dele
> Bomporquenaodisseantes.jpg
> Começamos a ir pra casa do primo dele beber e jogar Halo uma vez por semana quando a esposa dele leva as crianças para ver os pais dela
> Ele compra a breja, tem comida, jogos, não é ruim
> Às vezes ele tem uma atitude cuzona de ficar mandando na gente e se achar o rei dos nossos rolês semanais mas foda-se
> Começo a trazer minha pseudo namorada pra lá
> Primo sempre tá de olho nela mas ela tá acostumada em ser a única garota dos nossos rolês então de boa
> Mesmo que esse velho fodido saiba que essa mina tá fora dos limites ele continua tentando dar em cima dela
> Pior parte é que ela parece não ligar
> Um dia ele pergunta por que não aparece que eu sou o namorado dela no face
> Mcq ela diz “ah, ele é mais um melhor amigo que qualquer outra coisa”
> Ódio pulsante quando ele diz “zé, tu tem que prender essa mina cara, ela tá transando”
> Só vemos esse fodido uma vez por semana e ela continua dormindo na minha casa sempre então acho que não vai dar em nada
> Eu continuo falando pra ela que ele é um pau no cu
> Ela concorda comigo mas diz “você me conhece, eu nem sei ser rude”
> Além disso a gente não pode simplesmente parar de ir, nosso ritual tá bem estável nesse ponto
> Uma hora começamos a misturar bebida com Halo, halobida
> Somos retardados não pensamos nisso antes
> Primo velhote fodido fica criando regras aleatórias toda vez
> “regras da casa” como ele diz
> Como a pseudo namorada não joga, às vezes ele cria regras envolvendo ela
> Ela tem que tomar as cervas se tiver um multikill, merda assim
> Um dia ele propõe que ela tenha que sentar no colo de quem ganhasse o próximo jogo
> Esse merda é o melhor de nós, então obviamente essa regra é pra ele
> Eu começo a falar “cara eu acho que ela não quer...”
> Quando ao mesmo tempo ela ri e diz “vocês viu...” implicando que tudo bem
> Me sinto como um baita viado por tentar proteger demais e vou na onda deles
> Ela fica a maior parte das próximas horas no colo dele
> Emputecido quando a gente foi pra casa, eu brigo com ela e depois nos reconciliamos como sempre
> Continua sendo essa merda pelas próximas vezes
> Maior parte das vezes sentadas de colo
> Às vezes fazem ela dançar uma “dança sexy só de zoas”
> Nada que eu possa ficar publicamente puto por
> Meu tio tem um casamento no mesmo dia que um desses rolês acontece
> Peço pra ela não ir
> Ela diz “provavelmente ela não vai”
> Peço de novo, praticamente implorando dessa vez
> Ela diz que vai tentar não ir mas que os garotos enchem muito o saco e que ela não sabe dizer não
> Ambas declarações são corretas, mas eu fico puto com ela e falo pra ela ter bolas o suficiente pra isso
> Brigamos de novo
> Não tenho tempo pra reconciliar antes de ir pro casamento
> Tenhoummalpressentimento.jpg
> Nervoso o fim de semana inteiro
> Falo com ela por mensagens na viagem de volta com meus pais, ela diz que vai me ligar quando eu voltar, pelo tom de voz dá pra saber que ela se sente culpada
> Aicaralho.png
> Acontece que ela ficou bêbada demais e eles implementaram stripping no jogo, primo, Eric e Dave viram ela completamente nua
> Queporraéessa.jpg
> Brigamos de novo
> Mcq eu percebo que eles tiveram mais prazer sexual com ela que eu até agora
> Penso que acabou, terei que procurar uma nova vida social agora
> Ela me chama de madrugada e vem em casa
> Chora pedindo desculpa, diz que tem um problema muito complicado com falar não e que vai tentar consertar isso
> Perdoo ela e vamos para a cama dando abraços
> Bem estranho com Eric e Dave a próxima vez que vejo eles
> Não falamos sobre o assunto mas eventualmente temos uma conversa de perdão meio estranha já que eu tô claramente bravo
> Ela para de ir na casa do primo pau no cu por um tempo
> Uma hora ela volta a ir
> “para consertar todas nossas amizades” ela diz
> As coisas de forma lenta mas firme começam a evoluir para o que era antes
> Eu sei que eu tenho que colocar um fim nisso
> Percebo que álcool é a principal diferença da minha casa para a casa do primo
> Começo a pegar bebidas do armário dos meus pais quando a gente joga Halo em casa
> Não sei muito bem o que eu tava pensando já que a gente continuava indo pra casa do primo
> Uma hora meus pais descobrem
> Minhas notas também tão caindo
> Combo deixa eles putos pra caralho
> Pseudo namorada não pode mais dormir em casa e eu não posso sair por uma semana
> Pseudo namorada e eu brigamos por isso e eu nem lembro o porquê
> Recebo mensagem do primo uns dias depois falando que ele vai ter a casa vazia e que é pra gente ir
> Noooooooooooooooooooooooooo.jpg
> Tento sair escondido mas sou pego
> Fico ligando pra ela o tempo inteiro mas ela ainda tá brava comigo e não atende
> Dia seguinte ainda sem contato, fim de semana então não vejo ela na escola
> Queporraéssaqueporracaralhoéessa.jpg
> Enlouqueço praticamente tendo um surto emocional
> Vejo ela na escola quando a Segunda finalmente chega
> Ela me ignora o dia todo
> Ela vai pra casa antes de eu poder encontrar ela depois da aula
> Chamo ela uma porrada de vez, falo pra ela que meu castigo acabou e que eu realmente quero falar com ela, se tiver acabado pelo menos que ela me fale isso
> Encontro Eric e Dave, muito nervoso para perguntar de forma tranquila o que caralho aconteceu
> Muito fodendo estranho mas basicamente eles me dizem que jogaram strip Halo de novo
> Eric vaza na hora mas Dave me diz depois que Eric e o primo filho de sete putas tavam passando a mão nela enquanto ela tava meio desmaiada
> Diz que ele sente muito e que tentou impedir
> Não tenho mais ninguém pra ficar puto então desconto no Dave
> Uma hora ela me manda uma mensagem dizendo “você age como se houvesse algo para terminar”
> Mostro essa merda pro Dave e saio correndo chorando pra caralho
> Muito envergonhado para sequer lembrar disso
> Penso que minha vida acabou
> Ela vem em casa aquela noite, sem mensagens, sem ligação, sem nada
> Soluçando na porta
> Nem sei como ficar puto com ela
> Eu falo que tudo bem, eu ouvi o que aconteceu e te perdoo
> Ela continua chorando e a gente vai dormir
> No meio da noite ela solta um “eu te amo”
> Inexperadamenteomelhormomentodaminhavida.jpg
> Nem penso direito e falo “também te amo”
> “não importa o que aconteça?” ela pergunta
> Eu digo que sim
> Perguntar se não importa o que aconteça continua por um tempo
> Tenho um mal pressentimento
> Ela diz que não tinha pra onde ir depois que meus pais não deixaram mais ela vir dormir em casa
> Que ela odeia ficar na casa dela e como eu sabia o quanto ela odiava os pais dela
> Ela admite ter falado isso pro velhote por mensagem quando tava indo pra casa na Sexta (dia que o strip aconteceu)
> Ele diz que a casa dele tá livre até Segunda, e convida ela pra ficar lá
> Eu tô tremendo enquanto ela fala isso
> O jeito que ela estava agindo finalmente se encaixou e fez sentido na minha cabeça
> Nunca tive uma epifania desse jeito
> Eu nem tenho que perguntar mas eu faço mesmo assim
> Ela diz que eles foram até o fim
> Nem sei por que eu perguntei os detalhes mas eu precisava
> Quantas vezes?
> Ela diz que não sabe uma porrada de vez e no fim termina falando que foram 5
> Você gostou?
> Ela diz que não mas eu pressiono ela e ela diz que teve um orgasmo
> Que posições?
> Missionário e de quatro
> Preservativo?
> Pausa, não.
> Nós dois estamos chorando o tempo todo
> Ainda em estado de choque na manhã, ela tomou uma pílula do dia seguinte pelo menos
> Nós ainda estamos meio estranhos nos próximos dias mas eu tô estranhamente positivo
> Ela diz que me ama o tempo todo, antes não me dizia nunca
> Oficialmente colocamos isso no face
> Todos na escola souberam o que houve mas não dão sequer uma foda
> Damos a mão o tempo todo, dizemos um para o outro que enquanto tivermos um ao outro estará tudo bem
> Chega ontem
> Recebo uma mensagem do primo falando para eu ir lá
> Quase dou risada por ele pensar que nós vamos
> Depois das aulas eu procuro minha namorada, de verdade agora
> Vejo ela com Eric e Dave
> Ainda putasso com Eric, então já tá um clima ruim
> Mcq eles dizem que tão indo pra casa do primo
> Eu nem sei o que dizer
> Eu falo que não vou
> Quando fica claro que eles vão eu indo ou não eu acabo cedendo e indo junto
> Jogamos Halo e bebemos um pouco
> Tão bravo que nem sei o que fazer
> Sentimento de estranheza é ainda pior
> Sinto que nem sequer estou lá
> Tento fazer ela ir pra casa várias vezes, Eric e o primo convencem ela a ficar
> Ela fica no meu colo o tempo todo, meus braços ao redor dela
> Acabamos assistindo Prometheus
> Dave foi pra casa nesse ponto
> Cometi o erro de me levantar para pegar cerveja
> Quando eu volto ela está no colo do velho filho da puta
> Pergunto pra ela se está tudo bem
> Ela diz que sim
> Ela e o escroto começam a se beijar
> Eric diz “cara, relaxa”
> Mcq ela diz para ele “não se preocupa, ele sabe”
> Eu falo pra ela que eu estou indo pra casa
> Ela diz que vai ficar
Isso foi noite passada, eu não falei mais com ela depois disso.





é isso, se alguém quiser que eu mude alguma coisa é só falar
submitted by Dinohobby to brasil [link] [comments]


2017.09.25 21:45 botafora01 Sinto que a minha vida já está traçada

Desde já peço desculpas pela muralha e pelo throw away
OK, desde o Ensino Médio eu sofria com algo que eu imagino 90% do Reddit sofreu: não conseguia pegar sequer resfriado. Era extremamente zoado pela sala toda por isso (meus amigos até hoje dizem que eu sou o único da turma que nenhuma mulher chegou), cheguei até a apanhar por isso. Só fui perder meu BV no meu ano de calouro na faculdade e a minha virgindade quando fui num bordel. Eu ficava triste com isso, mas também estava esperançoso: afinal, era um adolescente, estava entrando na faculdade, e todos sempre me louvavam por, segundo eles, eu ser muito inteligente. A menina que eu gostava na época, e que até hoje é uma amiga (e que eu passei a maior vergonha da minha vida, ao me declarar pelo fucking MSN), vivia brincando dizendo "O nerd de hoje é o cara rico de amanhã". Boas memórias.
Chegou 2013, e eu entrei na faculdade. Não fui maravilhosamente bem no ENEM, mas consegui uma bolsa integral em Administração em uma bela universidade. Escolhi Adm por pensar que o mercado estava bom e por ser noturna, o que me permitiria trabalhar. Nesse período, perdi meu BV e fiquei com outra menina uma vez, num espaço de 9 meses. Pra mim, isso era o ápice, eu era o deus da conquista, mesmo que meus novos amigos me zoassem de "pega ninguém" do mesmo jeito. Nessa época, eu baixei o Tinder e conheci o meu primeiro namorico, vamos chamar de Ana. Ana morava a 3h30 de viagem, então era praticamente um namoro à distância. Ficamos algumas vezes, 3 meses depois começamos a namorar e, depois disso, ela passou o mês seguinte dando desculpas para eu não ir lá. Chegou fevereiro, veio o carnaval, e ela disse que estava passando mal. Foi para o hospital e detectaram leucemia. Óbvio que eu pirei, queria ir pro hospital dela de todo jeito, mas ela nunca deixava, dizia que os pais me viriam, iria arrumar encrenca, ela iria ver um momento que estivesse sozinha. Se passaram 5 meses nesse tormento, hora ela dizia que estava boa, hora dizia que estava mal, quimio e afins, até que meus amigos de sala fizeram uma intervenção comigo, mostrando que não havia nada em rede social nenhuma dela a respeito de câncer, mostrando que ela estava postando normalmente sobre coisas cotidianas e que era a maior retardadice do mundo eu não ter ido nenhuma vez ver ela. Eu fiquei meio balançado, até porque meus pais concordavam com este ponto de vista, mas fiquei meio irregular com ela. Pouco mais de um mês depois disso, ela disse que tinha tido alta, tinha encontrado um ex, tinha ficado com ele e queria terminar. Não lamentei muito, até porque isso ocorreu em um espaço de uma semana, no máximo. Terminei e, desde então, ouvi dela duas vezes na vida. Passou.
Vale mencionar que, nesse meio tempo, a minha vida em casa havia melhorado demais: durante meu período de Ensino Médio, minha adolescência se resumia a passar finais de semana com minha mãe em bares, vendo ela entrar quase em coma alcoolico com as amigas e outros finais de semana na casa do meu pai, vendo ele ficar bêbado e chorar no meu ombro sobre ele ser um fracassado que não conseguiu sequer manter um casamento. Quando eu terminei, minha mãe já estava mais centrada (como está agora), saindo ocasionalmente e socialmente, e meu pai parou de beber após enfartar e voltou a ser o cara extremamente trabalhador que eu sempre admirei. No fim do meu primeiro ano de faculdade, eu passei a estagiar em um instituto federal. Ao mesmo tempo do término que eu disse acima, eu fui chamado para um concurso temporário, em outro órgão público, bem mais perto de casa.
Poucos meses após eu terminar com a Ana, entrou em cena a pessoa que eu, de fato, considero como a única que eu namorei. Vamos chamar ela aqui de Beatriz. Beatriz me chamou no Facebook, para brincar sobre uma postagem que eu havia feito (já havíamos tido pequeno contato ainda no colégio), e daí começamos a conversar. Dois meses depois, ficamos e, 5 meses depois, começamos a namorar. Ela perdeu a virgindade comigo e, na prática, eu também perdi com ela (transei com prostitutas umas 4 vezes antes. Fiz exames, por precaução, e não deram nenhum reagente). Eu aprendi demais a me aceitar com ela, nós tínhamos a mesma personalidade, ela era a primeira pessoa que não só não me julgava por meus interesses, como me incentivava a seguir eles. Não me cobrava nada, eu não cobrava nada dela, mas conversávamos de forma quase ininterrupta das 7 até meia noite. Com ela, no entanto, eu descobri algo que já havia visto antes nos bordeis: não sei o que me causa, mas com certeza eu tenho ejaculação precoce. Fui em um urologista, que me disse que era algo psicológico, que eu só precisava "me desligar". Tentei os exercícios que o próprio Reddit indica, mas nunca funcionava. Usei camisinha anestésica 2 vezes: uma vez foi uma maravilha, na outra estourou e eu traumatizei. Sempre me sentia extremamente culpado e furioso comigo mesmo após cada fim de penetração, mas o que atenuava era a presença dela, que sempre me dizia que não ligava, que eu conseguia deixar ela no céu somente com as preliminares, que não ligaria de passar por isso por não sei quanto tempo. Tudo que eu me julgava errado, ela me mostrava que não ligava. Eu me sentia num porto seguro com ela, e isso me impulsionava na faculdade: eu imaginava que iria me formar em um emprego na iniciativa privada, sem "data de validade" como meu emprego temporário, e que, 1 ou 2 anos após isso, estaria casado com ela. O único motivo de discussão que tínhamos era que ela tinha total ojeriza de tornar público: não podia postar nada com ela no Facebook, não podia atualizar status de relacionamento, não podia ir conhecer os pais dela, que "iriam proibir completamente". Mesmo os amigos eu só vi 2 vezes (uma outra vez eu não pude ir por motivos profissionais). Eu sempre entendi que isso era um receio dela, então, mesmo um pouco frustrado, eu aceitava. No que eu terminei minha monografia, estava preocupado com a questão do mercado, mas nada demais. Até que veio o dezembro, 1 ano e 4 meses após começarmos a ficar.
Eu estava na faculdade, pegando os convites de formatura, quando ela mandou o tradicional "precisamos conversar". Resolvemos por texto mesmo: ela disse que gostava de outra pessoa, e que se sentia culpada namorando comigo com interesse em outro. Aceitei, triste, e demos um tempo. 2 dias depois, um amigo me manda uma foto no perfil de um rapaz, que era o mesmo que ela gostava: ambos deitados, ela de top e ele sem camisa, e uma descrição bem...insinuante. Óbvio que eu pirei, liguei para ela, tivemos uma baita discussão, mas, depois disso, esfriou. Acabamos nos vendo, e ficando de novo. Ela terminou com o rapaz, mas ainda jurava de pés juntos que aquela foto era uma coincidência, que ela não havia me traído, que jamais faria isso, que era íntegra. E ficamos uns bons 3 meses indo e voltando até que, em abril, ela me mandou um testamento contando tudo: numa segunda, ela estava na casa de uma amiga, com este rapaz e o cara que a amiga estava pegando. A amiga e o peguete dela começaram a dar uns amassos no local e, segundo ela, ela não conseguiu "resistir" e montou no cara. Uma traição espetacular, que até hoje eu uso como humor auto depreciativo. Fiquei em choque por um tempo, mas, contra os conselhos de todos, perdoei ela e voltamos a namorar. Mas não era a mesma coisa. Ainda era maravilhoso por um aspecto, mas, por outro, ela estava insegura com o relacionamento (dizia que se sentia culpada por ter "estragado tudo por um impulso") e eu estava inseguro com tudo, precisava de validação dela pra tudo, principalmente no que tangia sexo. Eu já era inseguro sexualmente antes, agora era 3x mais, então eu basicamente a induzi a me contar toda a experiência sexual dela com ele, até eu me sentir menos perdedor. No entanto, eu estava começando a me recuperar em junho, estava me reencontrando, entendendo que estava apertando ela desnecessariamente (uma amiga teve essa conversa esclarecedora comigo). Então, tanto como solidificação como um pedido de desculpas, eu planejei uma viagem para nós, no dia que ficamos pela primeira vez, que cairia num sábado. Disse para ela os planos, ela ficou elétrica, empolgada, começou a me mandar links do local, brincar com meus planejamentos e afins...e, na semana seguinte, pediu para terminar. Disse que nunca esteve certa sobre nós termos voltado, que ela ainda me amava, que ainda sentia tesão comigo, mas que não se sentia pronta para um relacionamento sério, e "não queria me magoar". Aceitei, até mantive o contato, pq, nesse meio tempo, ela virou a minha melhor amiga. Mas o mesmo amigo da vez anterior me mandou um print de uma conversa dela com a irmã dele, dizendo que tinha terminado por estar afim de outro cara, e eu reconheci o sujeito: era um cara que ela falava horrores bem dele, "ah, fulano fez isso, fulano fez aquilo, me ajudou com x, um cara foda, faz não sei o que". Não sei se ela me traiu, mas tal conversa era de 1 dia e meio após termos terminado, e ela já havia ficado com tal cara. Não sei se ela me traiu de novo, mas a confrontei (não falei do meu amigo, obviamente, disse que a vi na rua) e ela manteve que não me traiu, mas que, dessa vez, poderia ficar com quem quisesse pq "fez a coisa certa". Eu disse que não conseguiria conversar com ela enquanto ainda tivesse sentimentos, ela disse que entendia, mas que queria saber de mim, que eu ainda era "o melhor amigo" dela.
Isso faz um mês e meio. Eu não consigo deixar de me sentir mal. Eu podia ter feito tanta coisa melhor, mas não fiz. Ela me traiu, possivelmente duas vezes, e tudo que eu consigo fazer é me culpar. Eu só não a chamei ainda pq imagino ela ficando com esse cara, que é melhor que eu em tudo: mais bonito, com uma barba farta de lenhador, com uma carreira já estabelecida, carro na garagem, mora sozinho e afins. O que me leva ao lado profissional: a sala da faculdade se reuniu para um churrasco há 3 semanas, estávamos conversando sobre empregos e eu concluí algo: apesar de que eu (e eu sei quão arrogante isso soa) ter feito que metade da sala ganhasse um diploma, eu sou o único dali sem um emprego minimamente fixo e tenho um salário que é o menor de todos, com vantagem. Todos falam que eu vou ganhar 3k, 4k logo, mas eu já cansei de tomar portadas de empresas. Gasto com passagem, gastei com um terno novo, gravata, e tudo que eu consegui foram muito obrigados, mas uma parcela da minha sala que literalmente não consegue entender que 50% e 0,5 são a mesma coisa (eu tive que ensinar manualmente regra de 3 simples e cálculo com números decimais quando estudamos Matemática Financeira) estão em empregos bons na iniciativa privada, comprando casas e carros. E, de todos ali, só uma me arrumou entrevista na empresa dela (que eu não consegui, principalmente por dita empresa estar num processo de fusão). Quatro conversam ocasionalmente, e o resto só entra em contato pedindo para que eu faça para eles provas de inglês de processos seletivos ou provas da faculdade (para os que ainda não se formaram).
Eu estou fazendo Contabilidade agora, vendo se consigo recomeçar, mas estou extremamente desiludido. Não sei o meu problema, mas o que eu imaginava quando entrei na faculdade não aconteceu. Eu sou um total fracassado no mercado de trabalho, e dificilmente vou conquistar algo além de pular de trabalho em trabalho de escritório, para tirar 2 salários e soltar rojão de alegria por não estar desempregado. Na verdade, eu já imaginava algo nessa linha desde o último semestre, mas, além da esperança mínima, eu carregava que iria ter uma família. Alguém me aceitava, alguém me amava. Hoje, eu vejo que nem isso. Nesse mês e meio pós-término, eu percebi como meu stock está horrorosamente baixo. Ouvi diretamente de uma estranha (no Tinder, vale dizer) como eu sou "feio, com cabelo estranho e roupas deprimentes". A maior parte dos meus amigos disse que eu vou achar alguém, mas só uma amiga me apresentou para alguém (Spoiler: eu quis levar pra amizade pq esta pessoa demonstrou 0 interesse romântico em mim, mas temos muitas afinidades de gostos. Não quero que alguém legal se perca só por não querer abrir as pernas pra mim em qualquer futuro).
Então, qual a conclusão? Para relacionamentos, eu sou a tempestade perfeita: meus gostos não são nada pop, meu estilo de roupa desagrada geral, minha voz é deprimente, eu sou lerdo, distraído, amo entrar em rants gigantes quando me empolgo (vide este texto) e, mesmo que alguma garota um dia resolva passar por isso tudo, o prêmio dela será ter de viver com sexo oral recheado por 30s de penetração, num dia bom. Nenhuma mulher no mundo quer se relacionar com um homem que precise fazê-la ter um orgasmo com masturbação pq não aguenta chegar a 1min de penetração. Ou seja, eu até posso tropeçar em alguma peguete (sim, essa é a palavra, tropeçar. Um incidente do acaso, como foi com a minha ex), mas nenhuma jamais chegará a ser de longo prazo. Dificilmente eu terei uma família. E, sem uma família, não há nada para contrabalancear o fato de que eu sou um fiasco profissional. O "menino gênio" do colégio, o "cara que vai ganhar 7000 daqui 3 anos" da faculdade nada mais era que uma pessoa com um par de neurônios no meio de um grupo de pessoas com bases educacionais mais fracas que a minha e, principalmente, sem interesse algum em estudar. Numa sala focada, eu teria de me esforçar para estar no meio do pelotão. Eu sou mediano intelectualmente e, profissionalmente, sou um lixo que não conseguiu fazer networking na faculdade e, hoje, irá ter de viver de escritório em escritório, sem nenhum breakthrough.
Minha vida parece estar desenhada para ser a definição de um fiasco, de um total e completo desperdício de oxigênio. Mas eu tenho uma missão: cuidar dos meus pais. Ambos dependem demais de mim psicologicamente, ambos me amam mais do que qualquer outra coisa. Sem a minha presença aqui, a vida dos dois colapsaria. Sinto que eu só vim ao mundo para ser o pilar da vida de ambos. Então, eu tenho que ir empurrando a minha vida enquanto ambos estão vivos, tentando ao máximo não embaraçar eles mais. Decidi que vou viver a vida no limite nesse meio tempo: finalmente comecei a fazer academia (minha postura sempre foi torta e, nos últimos 2 meses, eu ganhei peso. Quero eliminar essa pança antes que ela vire um problema), fui ao Maracanã mês passado ver a ida da Copa do Brasil (sou de MG), devo receber uma indenização boa quando sair daqui e estou planejando um mês de curso de inglês na Europa (meu inglês é bom, mas não é perfeito e isso sempre me incomodou horrores, sem falar que conhecer a Europa é O sonho que eu tenho de vida). Será o meu maior highlight, e a única loucura que eu me permiti fazer. Quando voltar, vou fazer o que gosto e, mais importante, vou cuidar dos meus pais, de tudo que eles precisarem de mim.
Não sei o que o futuro reserva pra mim, mas, pensando com lógica, eu devo chegar nos meus 35/40 anos quando ambos meus pais falecerem. Quando isso acontecer, serei um solteiro entrando na meia idade, possivelmente com pouca experiência sexual que não envolva garotas de programa, num emprego pouco satisfatório e sem nenhum amor que tenha sido recíproco e que não acabe na mulher se cansando de um cara patético e percebendo que praticamente qualquer coisa é melhor que eu. Será covardia, alguns sentirão tristeza, mas será temporário, todos irão superar, e haverá um pouco mais de oxigênio no mundo.
A minha mente ainda tenta, em alguns momentos, achar alguns cenários de ilusão, de que algum milagre irá acontecer, mas não irá. Eu sei que não. Profissionalmente eu fracassei. Academicamente eu fracassei. E, amorosamente, eu também fracassei. Vi que não basta achar alguém que aguente a minha personalidade, ela não irá suportar alguém que trata preliminares como Evento Principal, e eu irei morrer com esta condição.
Por mais paradoxal que seja, pensando assim eu estou aprendendo a abraçar o que eu gosto. Eu gosto de ler. Eu gosto de sair para comer e voltar para casa. Eu gosto de esportes. Eu gosto de escrever. Eu gosto de viajar. Não vou mudar o que eu gosto pelos outros, até porque será inútil, resolver um sintoma não cura a doença, e não há remédios o bastante para curar todos os sintomas dessa doença chamada eu. Fico feliz pelos meus pais existirem, pq, se não fosse por eles, eu teria sido um fiasco absoluto em vida. Fico feliz pelo meu último namoro, pq eu nunca me senti mais feliz do que numa tarde de sábado, quando ela disse "te amo" pouco antes de cochilar no meu peito. Eu fui feliz com o amor, e, por causa dela, eu aprendi que todo relacionamento que eu entrar, obrigatoriamente, terá um fim unilateral. Eu vou ser feliz com meus outros desejos, concluir meus hobbies, fazer o que eu gosto, e cuidar de quem me ama incondicionalmente, até o fim deles. Dali, serei eu que terei meu livramento.
Eu precisava contar isso pra alguém, mas não quero que tratem isso como um pedido de ajuda, pq não é. Meu real objetivo de vida sempre foi ter uma família minha, ter um filho em uma casa estruturada e passar meu conhecimento adiante. Eu já sei que, por questões psicológicas e físicas, isso jamais acontecerá. Quando meus pais se forem, eu literalmente não terei mais o que fazer aqui e, se tudo der certo, eu terei realizado ao menos uma parcela boa dos meus outros sonhos. Eu estou tranquilo quanto a isso. Talvez ainda sinta, de novo, a dor de ver alguém me trocando por outra pessoa melhor, mas agora eu sei que isso acontecerá. Doerá menos, eu espero. E, se nem isso eu conseguir, bem...dois salários por mês dá para pagar por sexo.
De novo, desculpem pelo texto gigante.
tl;dr: Todos confiavam em mim, todos achavam que meu futuro seria brilhante. Meu futuro será medíocre, patético e, ao menos, tem uma data para acabar
submitted by botafora01 to desabafos [link] [comments]


Fernando & Sorocaba - Te Amo Demais / Não Olhe Assim (Ao ... José Ricardo -Te amo demais - YouTube Te Amo Demais.... - YouTube LEONARDO - TE AMO DEMAIS ( VIDEO KARAOKE ) - YouTube te amo demais - leonardo Leonardo - Te Amo Demais - YouTube FERNANDO MENDES/ EU QUERIA TE DIZER QUE TE AMO. - YouTube C1317 Playback Te Amo Demais Leonardo - YouTube Leonardo - Te Amo Demais (Video Clipe) - YouTube Eu te amo demais - Guilherme & Santiago - YouTube

eu te amo demais on Tumblr

  1. Fernando & Sorocaba - Te Amo Demais / Não Olhe Assim (Ao ...
  2. José Ricardo -Te amo demais - YouTube
  3. Te Amo Demais.... - YouTube
  4. LEONARDO - TE AMO DEMAIS ( VIDEO KARAOKE ) - YouTube
  5. te amo demais - leonardo
  6. Leonardo - Te Amo Demais - YouTube
  7. FERNANDO MENDES/ EU QUERIA TE DIZER QUE TE AMO. - YouTube
  8. C1317 Playback Te Amo Demais Leonardo - YouTube
  9. Leonardo - Te Amo Demais (Video Clipe) - YouTube
  10. Eu te amo demais - Guilherme & Santiago - YouTube

Vídeo Oficial de 'Te Amo Demais / Não Olhe Assim' de Fernando & Sorocaba. Ouça no álbum 'Isso É Churrasco': https://SMB.lnk.to/IssoEChurrasco Siga Fernando &... DescriptionEu sou assim Nunca soube recitar poesias Não sei palavras de amor Nem sou sedutor Não sei fingir nem poderia... Eu não tenho ouro nem prata Mas o ... Vídeo produzido por Bruna Bialeski e dedicado a Márcio Roberto Goes ( Meu Sol) cante aqui os maiores sucessos de ontem e hoje...se inscreva no canal e nÃo perca as novidades diÁrias...compartilhe Nosso site http://www.studiomel.com Curso de Canto à Distância pela internet ou Aula de Canto presencial no Rio de janeiro. Você pode tirar suas dúvidas entr... https://www.facebook.com/josericardoaovivo/ Contactos - 910 197 659 Te Amo Demais Leonardo Composição: Leonardo Eu sou assim Nunca soube recitar poesias Não sei palavras de amor Nem sou sedutor Não sei fingir nem poderia... Eu não tenho ouro nem prata Mas o ... Music video by Leonardo performing Te Amo Demais. (C) 2002 BMG Brasil Ltda. #Leonardo #TeAmoDemais #Vevo #Sertanejo #VideoClipe Eu sou assim Nunca soube recitar poesias Não sei palavras de amor Nem sou sedutor Não sei fingir nem poderia... Eu não tenho ouro nem prata Mas o meu maior t... AMIGOS TAMBEM DIZEM TE AMO /